O adversário do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, nas eleições legislativas de terça-feira, reconheceu esta quarta-feira a derrota numa conferência de imprensa realizada em Telavive. “Respeitamos a decisão do povo”, afirmou Benny Gantz, presidente da lista centrista Azul e Branco que esperava conseguir formar uma coligação e suceder a Netanyahu no cargo.

Depois de terça-feira à noite ter declarado vitória, Gantz reuniu com os seus companheiros de partido e garantiu que vai ser “uma alternativa ao poder”. O número dois do Azul e Branco Yaïr Lapid referiu, por outro lado, que a lista pretende “tornar a vida amarga ao governo de Netanyahu”.

Benjamin Netanyahu conseguiu o seu quinto mandato como primeiro-ministro e deverá formar coligação com outras formações de direita e alcançar a maioria absoluta no parlamento, ou seja, 65 dos 120 dos assentos. O partido de Netanyahu (Likud) era considerado o vencedor antecipado, apesar das acusações de corrupção contra o primeiro-ministro.

No entanto, a lista de Benny Gantz conseguiu reforçar-se, tendo prometido a retirada de colonos de diversas regiões da Cisjordânia, apesar de nunca ter mencionado a solução de dois Estados.

Numa campanha eleitoral caracterizada por frequentes acusações entre os dois principais candidatos, o conflito de Israel com os palestinianos e a possibilidade de um recomeço das negociações estiveram praticamente ausentes dos discursos eleitorais.