Depois de Faro, Lisboa e Coimbra, as trotinetes elétricas da Flash chegaram esta quarta-feira à Maia, o primeiro concelho do distrito do Porto a receber esta solução de mobilidade da empresa. Apesar de não avançar com o número de trotinetes disponíveis inicialmente, a empresa vai adaptar esse número consoante a procura que for observando pelos veículos na cidade.

Em comunicado, a startup de micromobilidade de origem alemã informa que teve autorização da Câmara Municipal da Maia para entrar na cidade, “reforçando o estatuto de operadora que em mais cidades opera em Portugal”. No caso da Maia, a startup vai ter uma frota com dois modelos de trotinetes, incluindo o novo modelo criado pela própria empresa, “desenhado para permitir uma experiência de condução mais segura e completa, com suspensões reforçadas, travões duplos, leds de sinalização e rodas maiores”, tendo também um suporte para o copo e carregador USB para o telemóvel.

As cidades portuguesas estão muito empenhadas em trazer novas soluções de mobilidade. A cidade da Maia e este Executivo têm desenvolvido diversas medidas importantes na descarbonização e na melhoria da mobilidade no concelho. Com o voto de confiança da Maia, iremos trabalhar, daqui para a frente, em total sintonia com a autarquia para desenvolver novas soluções de mobilidade, tornar os hábitos e comportamentos da população mais sustentáveis e construir uma cidade do futuro”, referiu Felix Petersen, diretor-geral da Flash para Portugal, citado em comunicado.

Os preços de viagem nas trotinetes da Flash são os mesmos cobrados na concorrência: um euro para desbloquear o veículo e 15 cêntimos por minuto de utilização. No entanto, e à semelhança do que já fez em Lisboa, a empresa dá um desconto de 50% no desbloqueio para os utilizadores que estacionarem corretamente as trotinetes numa das 30 zonas de estacionamento indicados pela Câmara Municipal da Maia.

Uma das características que tem distinguido a Flash é o facto de os utilizadores poderem ver quais são os pontos de estacionamento mais indicados para poderem deixar as trotinetes. A equipa assegura ainda que “contará com equipas próprias que vão assegurar diariamente o carregamento das baterias, a verificação da segurança das trotinetes, o seu correto estacionamento e a sua colocação nas zonas de estacionamento estabelecidas”.

Para conseguir uma trotinete, o utilizador precisa de fazer download da app da Flash. De seguida, surge um mapa com os locais onde os veículos estão disponíveis, tendo o utilizador que utilizar um QR code para desbloquear o veículo. No final da viagem, o preço é descontado da conta do utilizador, ou seja, não precisa de ter um montante carregado antes.

Fundada em 2018, a Flash recebeu recentemente uma ronda de financiamento série A no valor de 55 milhões de euros para expandir o seu mercado. Em Portugal, a empresa tem como concorrentes a Lime, a Voi, a Hive, a Tier, a Bungo, a Bird e a Frog.