As principais bolsas europeias estavam em baixa esta quinta-feira, depois de Bruxelas e Londres terem acordado adiar o Brexit até 31 de outubro.

Cerca das 09:00 em Lisboa, o EuroStoxx 600 recuava 0,21% para 385,87 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt recuavam 0,24%, 0,07% e 0,18%, bem como a de Milão que descia 0,44%. Madrid era a exceção, já que subia 0,02%.

Depois de ter aberto em alta ligeira, a bolsa de Lisboa invertia a tendência e cerca das 09:00 o principal índice, o PSI20, descia 0,10% para 5.320,05 pontos.

Os mercados acolheram sem grandes mudanças a decisão alcançada pelos 27 países que permanecerão na União Europeia depois da saída do Reino Unido de conceder a Londres um adiamento do Brexit até 31 de outubro.

Na reunião de política monetária de quarta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) decidiu, como era esperado, manter as taxas de juro e assegurou, de novo, que as mesmas continuarão baixas pelo menos até “finais de 2019”, mas deixou os mercados frios por não ter concretizado pormenores sobre as novas injeções de liquidez.

Nos Estados Unidos, a Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) também assegurou que não prevê subir este ano as taxas de juro.

Em Nova Iorque, a bolsa terminou em alta na quarta-feira, com o Dow Jones a subir 0,03% para 26.157,16 pontos, depois de ter atingido em 03 de outubro de 2018 os 26.828,39 pontos, atual máximo desde que foi criado em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a avançar 0,69% para 7.964,24 pontos, após ter subido até aos 8.109,69 pontos em 29 de agosto de 2018, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1282 dólares, contra 1,1250 dólares na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em junho abriu esta quinta-feira em baixa, a cotar-se a 71,41 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,41% do que na sessão anterior e depois de ter estado acima dos 85 dólares no início de outubro.