A igreja católica no Japão está a preparar uma investigação sobre alegados abusos sexuais contra menores cometidos por padres, incluindo acusações de há 20 anos, foi esta quinta-feira anunciado.

A Conferência dos Bispos Católicos no Japão disse que criou um grupo em cada diocese para receber denúncias relacionadas com abusos sexuais, mas não adiantou mais detalhes sobre a investigação.

A conferência, sediada em Tóquio, informou que pesquisas anteriores encontraram dois casos notificados em 2002 e cinco em 2012, que não foram verificados. Esses casos serão investigados, incluindo se os supostos abusadores foram punidos, que punição receberam e qual a resposta que os bispos deram às vítimas, disse a conferência.

A decisão surge depois da cimeira sobre abusos realizada em fevereiro por decisão do Papa Francisco em resposta aos escândalos que envolvem o clero. O Papa Francisco deve visitar o Japão em novembro, na primeira visita papal ao país desde João Paulo II, em 1981.

A Conferência de Bispos Católicos do Japão disse ainda que numa pesquisa sobre assédio sexual em 2004 encontrou 17 casos de “contactos físicos coercivos”, sendo algumas das vítimas crianças.

Um japonês de 62 anos denunciou recentemente que foi abusado sexualmente por um padre há décadas, quando frequentava uma escola católica no oeste de Tóquio tendo ainda a conferência conhecimento de outras denúncias de abusos em diferentes escolas católicas, mas a extensão do problema permanece desconhecida.

A comunidade católica do Japão é de cerca de 440.000 pessoas.