Rádio Observador

África

Taça das Nações Africanas. Guiné-Bissau defronta Camarões e Gana, Angola encontra Mali e Tunísia

Angola disputa a CAN pela oitava vez e vai jogar com o Mali de Marega e Diaby. A Guiné-Bissau tem encontro marcado com os detentores do troféu, a seleção dos Camarões.

A 32.ª edição da CAN ocorre no Egito, entre 21 de junho e 19 de julho

KHALED ELFIQI/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A Guiné-Bissau vai defrontar os Camarões, detentores do troféu, Gana e Benin no grupo F da Taça das Nações Africanas de futebol (CAN), enquanto Angola terá pela frente Tunísia, Mali e Mauritânia, ditou esta sexta-feira o sorteio da prova.

Guineenses e angolanos estavam inseridos no pote 4 do sorteio, pelo que, à partida, teriam sempre de defrontar algumas das seleções mais fortes na competição que se vai realizar no Egito, entre 21 de junho e 19 de julho.

Naquela que será a segunda presença numa fase final da CAN, dois anos depois da estreia, a Guiné-Bissau, 118.ª classificada no ranking da FIFA, ficou inserida no grupo F e vai reencontrar os Camarões, cinco vezes campeões africanos – a última das quais na derradeira edição, em 2017 – e que contam com o avançado do FC Porto Vincent Aboubakar.

Na última edição da CAN, os djurtus jogaram com os Camarões na fase grupos, tendo perdido por 2-1.

O Gana, 49.º no ranking FIFA, que venceu a CAN em quatro ocasiões e ficou em quarto lugar em 2017, é outro dos tubarões que a Guiné-Bissau terá de enfrentar, num grupo no qual foi ainda sorteado o Benin, ausente das últimas quatro edições e que é um velho adversário dos guineenses na taça Amílcar Cabral.

Já Angola, 122.ª da hierarquia mundial, prepara-se para disputar a competição pela oitava vez, sendo que em duas delas conseguiu alcançar os quartos de final, em 2008 e 2010. Os “palancas negras”, que se qualificaram para a fase final da CAN graças a um golo do estreante Wilson Eduardo, do Sporting de Braga, vão medir forças com a Tunísia, que arrebatou o troféu em 2004.

Angola vai jogar também com o Mali, de Moussa Marega (FC Porto) e Abdoulaye Diaby (Sporting), e com a Mauritânia, uma das três equipas estreantes, juntamente com Burundi e Madagáscar.

No grupo A, o anfitrião Egito, finalista da última edição, terá pela frente a República Democrática do Congo, do portista Mbemba, enquanto o grupo C vai proporcionar um confronto entre outros dois jogadores do FC Porto, Yacine Brahimi, pela Argélia, e Mamadou Loum, pelo Senegal.

Os dois primeiros classificados de cada um dos seis grupos apuram-se para os oitavos de final da CAN2019, tal como os quatro melhores terceiros colocados.

A 32.ª edição da Taça das Nações Africanas vai decorrer no Egito, entre 21 de junho e 19 de julho.

Composição dos grupos da Taça das Nações Africanas de 2019, no Egito:

Grupo A: Egito, República Democrática do Congo, Uganda e Zimbabué.

Grupo B: Nigéria, Guiné Equatorial, Madagáscar e Burundi.

Grupo C: Senegal, Argélia, Quénia e Tanzânia.

Grupo D: Marrocos, Costa do Marfim, África do Sul e Namíbia.

Grupo E: Tunísia, Mali, Mauritânia e Angola.

Grupo F: Camarões, Gana, Benin e Guiné-Bissau.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)