Bombeiros

Cinquenta e dois bombeiros de Lourosa parados em protesto contra direção

Cinquenta e dois operacionais dos Bombeiros de Lourosa apresentaram ao comando dessa corporação o pedido de inatividade, em protesto contra a direção da respetiva associação humanitária.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Cinquenta e dois operacionais dos Bombeiros Voluntários de Lourosa apresentaram este sábado ao comando dessa corporação de Santa Maria da Feira o seu pedido de inatividade, em protesto contra a direção da respetiva associação humanitária.

O pedido de suspensão do serviço já foi aprovado pelo comando interino da corporação e tem efeitos práticos a partir das 00:00 da próxima segunda-feira.

A partir dessa altura, o quartel contará apenas com 16 bombeiros profissionais e quatro funcionários não-operacionais para atender às ocorrências de um território com um mínimo de 11 freguesias.

Em declarações à Lusa, o porta-voz do grupo de bombeiros que requereu inatividade atribui essa medida à “demora” nos procedimentos para afastamento da atual direção, com a qual o corpo operacional se incompatibilizou formalmente a 18 de março.

“Já todos manifestámos a nossa posição várias vezes ao longo das últimas semanas, avisámos logo que estávamos dispostos a pedir a inatividade se as coisas não se alterassem e, até hoje, nem a direção renunciou por si própria nem a mesa da assembleia-geral marcou a reunião de sócios que solicitámos, para as pessoas poderem votar o afastamento da associação humanitária”, explica Amaro Fontes.

A interpretação dos 52 bombeiros que suspenderam funções é, segundo o seu porta-voz, que “o presidente da mesa da assembleia não está a perceber a gravidade da situação ou então quer intencionalmente arrastar o assunto para ver se desmotiva o grupo – o que não vai acontecer, porque o corpo ativo já deixou bem claro que não está disposto a trabalhar mais com a atual direção”.

Após a renúncia do comando efetivo da corporação, a 18 de março, na sequência da não-recondução de dois adjuntos por parte da associação humanitária e antes da divulgação de várias críticas sobre a “má gestão e conduta indevida” da direção, a chefia operacional do quartel foi entregue ao comandante interino Fernando Oliveira, que este sábado deferiu os 52 pedidos de licença de inatividade.

Dado que a 15 de maio tem início a época de incêndios florestais, o atual chefe das operações diz que “a situação não se pode arrastar mais” e quer repor a “estabilidade” na corporação.

“Agora ficamos só com 16 bombeiros e quatro assalariados, que é o serviço mínimo. Se houver mais do que uma ocorrência de cada vez, temos de distribuir os operacionais como pudermos e dependeremos dos nossos colegas de outras corporações da região”, disse Fernando Oliveira.

O comandante nota ainda que, estando a maioria do corpo operacional inativo e “dada a instabilidade atual na corporação”, a corporação “não aceitou integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, para o qual já foi requisitada” pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro.

Contactado pela Lusa, o presidente da mesa da assembleia-geral dos Bombeiros de Lourosa – que recebeu, desde meados de março, vários documentos exigindo uma sessão extraordinária para debater a situação atual, inclusive uma petição assinada por 57 bombeiros – informa que “na próxima quinta-feira, impreterivelmente, vai ser marcada a data da próxima reunião de sócios, seja ela de que tipo for”.

Sem comentar a presente redução de operacionais no ativo, Olímpio Sousa diz que “todos os cenários estão em aberto até à próxima assembleia” no que se refere à direção.

“Se for para haver renúncia ou destituição por voto, a mesa entrou como parte da equipa da direção e como parte da equipa sairá também”, acrescenta.

A inatividade dos 52 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Lourosa já foi comunicada à direção da Autoridade Nacional da Proteção Civil, à Liga de Bombeiros Portugueses e à Câmara Municipal da Feira, entre outras entidades com responsabilidade na área do socorro à população.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Investimento público

A tragédia de Pedro Marques

Inês Domingos
211

Com um quadro Centeno confessou inadvertidamente como foi um dos principais responsáveis pelo desastre de atuação de Pedro Marques, sendo que este também não foi capaz de aplicar os fundos de Bruxelas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)