A reconversão de velhos automóveis em veículos eléctricos é uma solução cada vez mais popular. Como os motores originais, caso ainda existam, são gastadores, poluentes e lentos, cedem o seu lugar a motorizações eléctricas, facilmente mais possantes, alimentadas por baterias, o que os torna mais amigos do ambiente, mas igualmente mais baratos não só de pôr a andar, como também mais competitivos em termos de custos de utilização.

Este exemplar é um Carocha de 1958, que foi adaptado pela Zelectric, uma empresa californiana especializada neste tipo de reconversões, similar, por exemplo, à portuguesa EVolution. Tudo o que se vê é do Carocha de há 61 anos, mas por baixo está um motor da Tesla e um pack de baterias formado com módulos antigos do construtor americano.

Em vez do motor 1.2 refrigerado a ar, com quatro cilindros opostos, que debitava 36 cv – em novo, claro está –, a Zelectric instalou o motor mais pequeno que encontrou do construtor americano e depois limitou-o a 103 cv, o que pode não parecer muito, mas é quase o triplo da potência original, sendo que a força subiu de forma ainda mais generosa.

O pack de baterias, formado com células 18650, garante uma autonomia de 160 km, segundo o método americano EPA, o que equivale a cerca de 200 km de acordo com o sistema europeu WLTP.

Este Carocha com alma de Tesla, rigorosamente recuperado, pode ser seu através do Omaze. Basta que contribua para a Planetary Society – uma organização não lucrativa que acredita que o Espaço é para todos – e tenha alguma sorte…