Rádio Observador

Futebol

Tiago, 11 anos, insultou o árbitro e foi expulso. Depois escreveu uma carta a pedir desculpa: “O senhor estava certo e eu lamento”

602

Jogador do Samora Correia foi expulso na semana passada. Depois percebeu o erro e escreveu ao árbitro: "Não consigo apagar as marcas de desilusão, mas posso pedir-lhe desculpa."

Tiago Tavares, de 11 anos, não pôde jogar este sábado pela equipa de Sub-11 do Grupo Desportivo Samora Correia, a que pertence, por estar castigado. Mas a ação que tomou no dia anterior foi suficientemente surpreendente e louvável para ser destacada pelo seu próprio clube e pela Associação de Futebol de Santarém nas redes sociais, bem como replicada na comunicação social portuguesa e até espanhola. O motivo? Uma carta a pedir desculpas ao árbitro pela sua atitude em campo.

O Tiago, na semana passada, teve uma atitude menos própria para o árbitro da partida de Sub-11 da Associação de Futebol…

Posted by Grupo Desportivo Samora Correia on Friday, April 12, 2019

Tudo começou no jogo do passado dia 7 de abril, frente ao Clube Amador dos Desportos do Entroncamento. De acordo com o que o diretor desportivo da equipa, André Ferreira, contou ao Jornal de Notícias, o prolongamento de sete minutos que terminou com um golo do adversário, num jogo que estava até aí empatado, deitou por terra as ambições do Samora Correia para aquele encontro. “Alguns dos jogadores ficaram desiludidos e o Tiago acabou por dirigir alguns insultos ao árbitro”, explicou o diretor desportivo ao jornal.

Tiago foi então expulso mas eis que, menos de uma semana depois, toma uma atitude que o próprio clube decidiu elogiar e dar a conhecer na sua página de Facebook: escreveu uma carta ao árbitro da partida a pedir desculpas. “Escrevo-lhe esta carta para pedir perdão pela minha atitude no dia 7 de abril de 2019”, diz o jogador depois de começar por se identificar.

“Sei que lamentar-me e pedir perdão não anula a suspensão, mas é bom saber reconhecer os nossos erros. Tentei alterar as coisas que fiz mal, não consigo fazer com que a minha equipa possa contar comigo no dia 13 de abril, não consigo apagar as marcas de desilusão dos misters, dos meus colegas, dos familiares e até de si. Mas posso fazer uma coisa: pedir-lhe desculpa e mostrar que estou seriamente arrependido. O senhor estava certo e eu lamento que isto tenha acontecido”, afirma Tiago, sem espaço para justificações ou desculpas.

A mãe, Marília Tavares, contou também ao JN que, tendo em conta o que aconteceu em campo, Tiago ficou de imediato de castigo.

Depois do que aconteceu, falámos e ele concordou em escrever uma carta ao árbitro a pedir desculpa”, revelou a mãe, garantindo que Tiago escreveu a carta “sozinho”.

O gesto de Tiago deu nas vistas por ser um bom exemplo de fair play, ainda para mais num jogador tão jovem. A história encantou os jornais e chegou até à imprensa espanhola, com destaque no desportivo As e no generalista El Español.

Já o destinatário da mensagem, o árbitro da partida Ricardo Ramos, também reagiu à atitude do jogador de 11 anos. “É com enorme satisfação que estou a ler as tuas palavras e que considero que saber reconhecer os erros é uma atitude de humildade e de um Vencedor. Aceito as tuas desculpas como te desejo as maiores felicidade na tua vida. Saliento e louvo a atitude do Grupo Desportivo Samora Correia. Saudações Desportivas”, escreveu o árbitro na publicação de Facebook do clube. Ao Diário de Notícias, acrescentou já ter recebido “muitos pedidos de desculpa”, mas por carta “é a primeira vez”.

Tiago também não se ficou pelo papel e caneta e, ao ver as milhares de partilhas que o post teve nas redes sociais, escreveu um comentário a agradecer os elogios: “Obrigado a todos, eu não mereço tanto, eu fiz mal e merecia ser ainda mais castigado, o que eu fiz não tem quaisquer tipos de perdão imaginável, só posso tentar pelo menos ‘despiorar’ as coisas”, escreveu.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbruno@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)