Rádio Observador

Ford

Ford acaba com roubo de carros com novo “keyless”

368

O sistema “keyless” é tão prático quanto perigoso. É (muito) fácil os ladrões captarem o sinal da chave, abrir o carro, colocar o motor em funcionamento e sair conduzindo. Mas não com esta solução.

As chaves dos modelos equipados com sistema keyless, que permite destrancar as portas e colocar o motor em funcionamento sem retirar a chave do bolso ou da mala, estão a tornar-se uma (grande) dor de cabeça. É certo que são práticas, mas a facilidade com que podem ser pirateadas, tem levado a um incremento exponencial de roubos de veículos.

Basta uma equipa de dois assaltantes, equipados com um equipamento barato que facilmente se pode adquirir através da Internet – essencialmente um intensificador de sinal –, para que qualquer carro com sistema keyless corra o risco de ser roubado. O princípio de funcionamento não podia ser mais simples, uma vez que a chave está sempre a emitir um sinal na esperança de ser recebido pelo veículo, ordenando-lhe que destranque as portas assim que se accione o fecho, para de seguida autorizar que o motor entre em funcionamento depois de alguém pressionar o botão start.

Não há nada de errado no sistema keyless, que efectivamente desempenha o serviço para o qual foi concebido. O problema surgiu quando os malfeitores decidiram explorar as fraquezas desta tecnologia. Basta que um dos ladrões passe com um detector de sinal rádio, junto das portas e janelas de vivendas ou apartamentos, na esperança de encontrar uma chave suficientemente próxima cujo sinal possa ser ampliado, a ponto de o colega conseguir abrir o carro da vítima, estacionado nas proximidades. Aberto o automóvel, os ladrões apenas têm de entrar, pôr o motor a funcionar e afastar-se sem se preocuparem com alarmes.

Já aqui chamámos a atenção para este problema, explicando que é relativamente fácil (e barato) proteger-se para evitar este tipo de roubo. Agora vem a Ford informar que os seus Fiesta e Focus passam a estar equipados com um sistema que impede a detecção pelos amplificadores de sinal. As chaves destes veículos estão equipadas com um sensor de movimento, que coloca a chave em suspensão assim que fica imóvel durante 40 ou mais segundos. Uma vez neste sleeping mode, deixam de emitir sinal. Logo, não podem ser pirateadas.

E nem sequer é necessário adquirir um carro novo para usufruir desta vantagem, bastando possuir a versão mais recente de qualquer um destes veículos da Ford. Isto e comprar num stand da marca uma chave nova para o seu veículo, que a Ford comercializa por 75€ para o Fiesta e 83€ para o Focus. Uma solução prática que será bem recebida pelos condutores e agentes de autoridades, que se queixam de mais de 85 mil veículos com sistema keyless terem sido roubados em 2017, só em Inglaterra e Gales, número que deste então não tem parado de aumentar.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)