Rádio Observador

Venezuela

Maduro protagoniza demonstração de força com milhares de pessoas em Caracas

310

O evento, que reuniu milhares simpatizantes de Nicolás Maduro em Caracas, teve como pretexto a comemoração dos 17 anos do regresso ao poder de Hugo Chavez, depois de ter sido deposto em 2002.

A demonstração aconteceu no Paseo los Próceres, uma grande praça dedicada aos heróis da emancipação da Venezuela

MIGUEL GUTIERREZ/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, protagonizou este domingo uma demonstração de força com a reunião em Caracas de milhares de simpatizantes, incluindo centenas de milicianos e efetivos das Forças Armadas. O evento realizado no Paseo los Próceres, uma grande praça dedicada aos heróis da emancipação da Venezuela, teve como pretexto a comemoração dos 17 anos do regresso ao poder do falecido mentor político do presidente venezuelano, Hugo Chávez, depois de ter sido deposto por algumas horas em 2002.

“O 13 de abril de 2002 é um dia que a nossa geração não esquecerá”, afirmou este domingo Maduro, rodeado por militares simpatizantes, tanques de guerra e peças de artilharia antiaérea. A condizer com a pose revolucionária, o chefe de Estado apelou aos milicianos o empenho num “milagre produtivo” que possa alimentar a Venezuela. “Neste momento, dou ordem às 51.743 unidades populares de defesa integral para se dediquem à produção [de alimentos] em todo o território nacional para ver reverdecer um milagre produtivo”, disse.

“Espingarda ao ombro, pronto para defender a pátria, e abrindo o sulco para semear a semente e produzir o alimento para a comunidade, para o povo”, é o novo retrato do miliciano venezuelano, em quem Nicolás Maduro confia um “milagre produtivo” capaz de disfarçar a quebra massiva e continuada nas receitas do petróleo, responsáveis por 96% do Orçamento venezuelano.

Na semana passada, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo, da qual a Venezuela é membro fundador, informou que a produção do país caiu em março 28,3% em relação a fevereiro, para 732 mil barris por dia. A Venezuela produzia mais de três milhões de barris diários quando Hugo Chávez chegou ao poder em 1999.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rússia

A síndrome de Istambul chegou a Moscovo /premium

José Milhazes

O Kremlin teria um sério teste à sua popularidade se permitisse a realização de eleições municipais em Moscovo e do governador de São Petersburgo limpas e transparentes. Mas isso não deverá acontecer.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)