Sem maquilhagem, num átrio de hotel e a pouco tempo de subir ao palco em Barcelona, no Festival Guitar BCN 2019, Luísa Sobral afirmou que a ideia de ela e o irmão não gostarem da Eurovisão não passa de “um título mentiroso, pensado como clickbait para leitores mórbidos.” Esta foi umna das primeiras afirmações da irmã de Salvador Sobral numa entrevista ao jornal espanhol La Vanguardia, publicada esta segunda-feira.

Aproveitando para falar ainda do mesmo tema, Luísa explicou que tanto para ela, enquanto compositora, mas mais ainda para o irmão, o vencedor da competição, essa vitória foi “importantíssima” no desenvolver da carreira de cada um, de tal modo que a cantora nem hesita em afirmar que o efeito da vitória foi quase imediato: passou de desconhecido a “maior estrela do país”.

Admitindo que essa mudança radical lhes “custou um bocadinho” — mas agora “já está tudo bem” –, Luísa reconhece que ela e o irmão “nunca foram eurofãs”, algo que”nunca” ocultaram. Nunca pensaram, também, poder vir a vencê-lo. “Senti-me muito orgulhosa do Salvador e ele está muito agradecido à Eurovisão por tudo o que nos trouxe de bom”, conta.

Mesaluisa. Cozinhar, comer e conversar com a mãe de Luísa e Salvador Sobral

Garantindo desde logo que “está tudo bem” com a saúde do irmão — que é “muito livre, autêntico e louco” –, Luísa até recordou a infância passada com Salvador e o pai, um “obcecado por Beatles” que sempre temeu o “inseguro” futuro artístico que ambos os filhos escolheram. Hoje está mais tranquilo mas continua “a perguntar pela venda de bilhetes”.

Elogiada pelo seu “perfeito espanhol” — “As línguas despertam-me curiosidade e tenho facilidade em aprendê-las: falo fancês, italiano, inglês e espanhol… E gosto do catalão” –, Luísa explicou ainda que a sua carreira está numa fase positiva, que gosta de “atuar em salas e auditórios de tamanho médio, desfrutando”, como tem feito até agora.