Porto

Palácio da Bolsa no Porto recebeu 376.172 visitantes em 2018

França, Espanha, Estados Unidos da América e Alemanha são os países que mais visitam o Palácio, de 184 anos. Número de visitas é "o maior recorde de sempre", segundo a Associação Comercial do Porto.

O Palácio tem um Salão Árabe revestido com 18 quilos de folha de ouro

MANUEL ARAÚJO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O Palácio da Bolsa, no Porto, recebeu 376.172 visitantes em 2018, um aumento de 3.8% face a 2017 considerado o “maior recorde histórico” da instituição com 184 anos, anunciou esta segunda-feira a Associação Comercial do Porto (ACP).

“É o maior recorde de sempre da história da Associação Comercial do Porto”, assume o presidente daquele organismo, Nuno Botelho, num comunicado de imprensa. O top dos cinco dos países que mais visitaram o Palácio da Bolsa em 2018 é composto por França (82.057), Espanha (66.660), Estados Unidos da América (31.039), Portugal (30.480) e Alemanha (23.623).

A ACP anuncia também que vai reforçar a partir desta segunda-feira, e até dia 28 de abril, a equipa de guias e o número de visitas em língua espanhola, tendo em conta que no ano passado registou um aumento de procura de turistas espanhóis durante a época da Páscoa.

“Em 2018, durante as semanas da Páscoa, o Palácio da Bolsa foi visitado por cinco mil espanhóis, a segunda nacionalidade que mais visitou este monumento no ano passado. Nesta época, devido aos feriados e às pontes no país vizinho, não há nacionalidades que se aproximem relativamente ao número de visitantes”, explica aquela associação.

Em 2018, o Palácio da Bolsa, cujo Salão Árabe inspirado no Palácio de Alhambra e que é revestido com 18 quilos de folha de ouro é o ex-líbris do edifício, abriu as portas a visitantes oriundos dos cinco continentes, de países distantes como a Austrália, Taiwan, África do Sul, Venezuela e Islândia.

“Todas as visitas ao Palácio da Bolsa são únicas, há sempre novos elementos para descobrir”, explica Nuno Botelho, destacando os brasões recuperados, em tamanho real com a pintura original dos do Pátio das Nações e descobertos no restauro de 2014 e 2015, bem como a cúpula, da autoria de Tomás Soller, ladeada por 20 brasões, em representação dos países com os quais Portugal mantinha relações de amizade e de comércio à época.

As visitas ao Palácio da Bolsa são diárias, guiadas, pagas e limitadas a 50 pessoas por sessão. A partir de quarta-feira o Palácio da Bolsa recebe a obra “Heavy Metal Stack of Six” (Pilha de seis metais pesados), da artista canadiana Angela Bulloch.

Dados da ACP indicam que a procura turística do Palácio da Bolsa regista um crescimento de 71% desde 2013.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)