Novo Banco

DBRS sobe ‘rating’ de longo prazo do Novo Banco com perspetiva positiva

A agência de notação financeira canadiana DBRS subiu o Novo Banco no 'rating', no entanto este continua a refletir a baixa rentabilidade do banco e o seu largo 'stock' de problemas de legado do ativo.

A DBRS espera também que "a posição de liquidez do banco, que começou a estabilizar em 2018, [...] permaneça adequada"

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A agência de notação financeira canadiana DBRS subiu esta quarta-feira o ‘rating’ do Novo Banco para B (alto), com perspetiva positiva, tendo o de curto prazo permanecido em R-4, foi divulgado esta quarta-feira.

Em termos de perspetivas, “a tendência permanece positiva para o ‘rating’ de emissor de longo prazo e estável para o de emissor de curto prazo”, pode ler-se no comunicado da DBRS.

De acordo com a DBRS, a subida do ‘rating’ de longo prazo de B para B (Alto) “tem em consideração a melhoria do perfil de risco do banco, particularmente em termos da redução de crédito malparado [NPL, ‘non-performing loans’, em inglês], o desinvestimento de ativos não ‘core’ e a progressiva racionalização da estrutura organizacional” do banco.

No entanto, os ‘ratings’ “continuam a refletir a baixa rentabilidade do banco e o seu largo ‘stock’ de problemas de legado do ativo”, alerta a DBRS, dando como exemplo os 22% de rácio de malparado, um número que “permanece consideravelmente mais fraco do que a maioria dos bancos europeus”.

A perspetiva positiva “reflete a expectativa da DBRS de que, com o apoio continuado do mecanismo de capital contingente [CCA, ‘contingent capital agreement’, em inglês] disponível ao Novo Banco através do Fundo de Resolução português, e com as ainda condições favoráveis em Portugal, o Novo Banco fará maiores progressos na limpeza do seu balanço e mantenha ‘almofadas’ de capital adequadas”, adianta a agência.

A DBRS espera também que “a posição de liquidez do banco, que começou a estabilizar em 2018, […] permaneça adequada”.

A agência de notação canadiana subiu ainda o ‘rating’ das obrigações críticas de longo prazo para BB (alto), com perspetiva positiva, o que “reflete a visão da DBRS de que o risco de aplicar medidas de resolução ao Novo Banco recuou ainda mais, dada a melhoria do perfil de risco do banco e o expectável apoio de capital vindo do CCA”.

A agência de notação canadiana adianta ainda que “a avaliação intrínseca do banco foi subida para B (alto) e a avaliação de apoio permanece imutável em SA3”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

E Berardo deixou-os nús /premium

Helena Matos
1.013

A fúria dos seus parceiros nasce não do que Berardo fez mas sim daquilo que expôs sobre eles e como exercem o poder. Do BCP ao CCB, Berardo, o capitalista de Estado, é a outra face do socialismo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)