Facebook

Facebook copiou lista de contactos de email de 1,5 milhões de pessoas sem lhes pedir permissão

258

A rede social admitiu que importava "sem intenção" a lista de contactos de emails dos novos utilizadores quando configuravam a sua conta. Os dados estão a ser apagados e os utilizadores notificados.

Desde que o caso Cambridge Analytica surgiu que o Facebook tem revelado várias brechas de segurança na proteção dos dados dos utilizadores

Justin Sullivan/Getty Images

O Facebook copiou “sem intenção” a lista de contactos de email de 1,5 milhões de utilizadores sem que estes tivessem dado consentimento, admitiu um porta-voz da rede social. Os contactos foram descarregados pela empresa quando os utilizadores inseriam o email com o qual faziam o login na rede social — pouco depois, começavam a ver os seus contactos importados para o Facebook sem que tivessem dado permissão específica para que isto acontecesse. A rede social anunciou entretanto que vai apagar os dados recolhidos e notificar os utilizadores que tenham sido afetados por esta medida.

“No mês passado, deixámos de pedir a password do email como opção de verificação às pessoas que se registavam na plataforma pela primeira vez”, afirmou o porta-voz da empresa, citado pelo The Guardian.

Quando olhámos para os passos que as pessoas estavam a dar para verificarem as suas contas percebemos que, nalguns casos, os contactos de emails estavam a ser copiados não intencionalmente quando criavam as contas. Estimamos que cerca de 1,5 milhões de emails tenham sido copiados. Esses emails não foram partilhados com ninguém e estamos a apagá-los. Resolvemos este problema e estamos a notificar as pessoas cujos contactos foram importados. Os utilizadores também podem rever e gerir os contactos que partilham com o Facebook nas definições da sua conta”, acrescentou o porta-voz.

Em março, a rede social assumiu num comunicado que tinha guardado milhões de palavras-passe de acesso ao Instagram e ao Facebook num ficheiro que podia ser lido em texto por mais de 20 mil funcionários. A empresa revelou na altura que os principais afetados foram os utilizadores da aplicação Facebook Lite, uma versão mobile da rede social que precisa de menos capacidade de processamento e utiliza menos dados de Internet. Contudo, “dezenas de milhões” de utilizadores do Facebook e “centenas de milhares” de contas do Instagram podem ter sido comprometidas.

O Facebook explicou que os contactos foram usados como parte da ferramenta “People You May Know”, com o objetivo de melhorar a forma como as empresas direcionavam publicidade. Ainda não se sabe quando é que a rede social vai apagar os dados que foram copiados ou se vai conseguir fazê-lo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Saúde

Inovação em Saúde: oito tendências e um caminho

Luís Lopes Pereira

Em Portugal já existem terapêuticas alvo de contratos baseados no valor. Mas a difícil e demorada contratação pública e a dependência do Ministério das Finanças têm limitado a autonomia para inovar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)