Rádio Observador

Acidentes e Desastres

Rapaz português morre em Espanha ao ser atingido por disparo acidental

601

Um rapaz português de 11 anos morreu em Espanha, depois de ser atingido no peito por uma bala de um disparo acidental. Estava a passar férias com os pais. O proprietário da arma foi detido.

As equipas de emergência médica foram chamadas para o local e ainda tentaram reanimar a vítima

Alexander Koerner/Getty Images

Um rapaz português de 11 anos morreu na noite desta quarta-feira em Coín, na província de Málaga, em Espanha, depois de ser atingido no peito com uma bala de um disparo acidental, avança o La Vanguardia. A criança estaria a brincar com irmão mais novo, de oito anos, com uma espingarda, quando um acidente aconteceu.

O rapaz estava com os pais, numa vivenda em Coín — onde a família se encontrava de férias de Páscoa, na casa de uns familiares, de acordo com o Diario Sur. Na noite de quarta-feira, vários amigos e outros membros da família juntaram-se naquela casa, quando as crianças começaram a brincar com uma espingarda.

As equipas de emergência médica foram chamadas para o local e ainda tentaram reanimar a vítima, durante cerca de 40 minutos — sem sucesso. O óbito acabou por ser declarado no local. A Câmara Municipal de Coín decretou um dia de luto oficial, esta quinta-feira.

As autoridades abriram de imediato uma investigação. O proprietário da arma foi detido por incorrer num crime de homicídio por negligência, segundo o Diario Sur, que não dá mais detalhes sobre quem é esta pessoa e se é ou não familiar da vítima. O proprietário terá sido entretanto libertado, depois de prestar declarações.

O Consulado Geral de Portugal em Sevilha está em contacto com a família da vítima, disse fonte do Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas ao Observador. “Foram apresentadas condolências pela trágica perda da vida do cidadão nacional. O Consulado está ainda a realizar os procedimentos administrativos tendo em vista a realização da trasladação. Está também a estabelecer contactos com as autoridades espanholas para que a libertação do corpo possa ocorrer no mais curto espaço de tempo possível”, acrescentou a mesma fonte, numa nota enviada por escrito.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)