O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) e a Polícia Judiciária (PJ) já concluíram as autópsias e recolheram “os dados post mortem” das 29 pessoas que morreram na passada quarta-feira, 17 de abril, quando o autocarro de turismo em que iam caiu na zona de Caniço, no concelho de Santa Cruz, ilha da Madeira. A informação foi avançada pelo Ministério da Justiça em comunicado.

Com este processo concluído, aguardam-se agora “os dados ante mortem (impressões digitais, fichas dentárias e outros) por parte das autoridades alemãs”, a que o Ministério da Justiça espera aceder “durante o dia de amanhã”. Estes elementos em falta “são necessários para comparação e confirmação das identidades” das vítimas, lê-se  ainda.

O acidente aconteceu quando um autocarro saiu da estrada, na zona do Caniço, e caiu sobre uma habitação. Deram entrada no hospital 28 feridos. Entretanto, 11 tiveram alta, uma faleceu e 16 continuam internadas (dois são portugueses e os restantes alemães). Das 29 vítimas mortais, 11 eram homens e 18 mulheres de nacionalidade alemã.

Feridos transferidos para Alemanha no sábado

De acordo com o médico Miguel Reis, adjunto da direção clínica do hospital do Funchal, em conferência de imprensa, “está tudo preparado” para que a transferência de 12 doentes para a Alemanha comece pelas 08h30 de sábado e termine cerca de duas horas depois. O responsável adiantou ainda que “um dos feridos já foi hoje transferido” e um outro irá continuar internado em Portugal.

“A outra vítima, que irá permanecer no serviço de internamento do hospital Dr. Nélio Mendonça, não será transferida por razões clínicas”, adiantou.

Miguel Reis salientou ainda que a responsabilidade desta operação de transferência será “partilhada entre o Serviço Regional de Saúde (SESARAM) e o Serviço Regional de Proteção Civil (SRPC), que irão disponibilizar meios materiais e recursos humanos”.

Relativamente aos dois feridos portugueses, Miguel Reis disse que a situação está “a evoluir de forma estável e, para já, não há uma data prevista de alta para estes pacientes”.

A presidente do Conselho de Administração do SESARAM, Tomásia Alves, adiantou que foram desativadas as linhas telefónicas portuguesas do gabinete de apoio às vítimas e familiares — 291 705 659, 291 705 778 e 291 705 679 -, continuando a funcionar a linha criada para este efeito a partir da Alemanha (030 5000 2000).

A responsável manifestou mais uma vez “sentidas condolências pelo falecimento das 29 vítimas e pesar pelo sofrimento causado a todas as vítimas, familiares e amigos”.

O embaixador da República Federal da Alemanha em Lisboa, Cristof Weil, que também esteve presente na conferência, agradeceu a solidariedade do Presidente da República e do Governo português e de todas as pessoas envolvidas, com particular destaque à equipa do Hospital Dr. Nélio Mendonça. “Fizeram um trabalho fabuloso”, declarou.