Foram 205 dias. Ou seis meses e 24 dias. Algo como 56% de um ano civil, ou seja, mais de metade do tempo que passa de janeiro a dezembro. Foi este o tempo que Vincent Aboubakar passou afastado das convocatórias do FC Porto, do banco de suplentes e dos onzes iniciais, da Taça da Liga, da Taça de Portugal, da Liga dos Campeões e da Primeira Liga. O avançado camaronês lesionou-se a 28 de setembro do ano passado contra o Tondela e esteve afastado do lote de opções de Sérgio Conceição até este sábado.

Na semana passada, contra o Portimonense, Aboubakar chegou a estar na lista provisória do treinador dos dragões mas acabou por assistir a mais um jogo a partir da bancada. Contra o Santa Clara, porém, o avançado sentou-se mesmo no banco de suplentes, chegou a realizar exercícios de aquecimento durante a segunda parte, foi aplaudido pelas bancadas do Dragão mas viu o regresso aos relvados ser adiado.

Ainda assim, e mesmo sem voltar à competição, foi Aboubakar que teve a palavra na habitual roda que jogadores e equipa técnica do FC Porto formam no final de todos os jogos. O avançado falou em francês, o discurso foi traduzido pelo adjunto Siramana Dembélé e o grupo de trabalho saudou o regresso do camaronês. Já na flash interview, Sérgio Conceição garantiu que Aboubakar nunca esteve ausente da equipa. “Ele é importante no grupo. Falou porque foi um regresso após muitos meses. O grupo sentiu a presença deste elemento, que tem dado um grande contributo, também no balneário. E nisso somos fortíssimos”, explicou o treinador dos dragões.

Sérgio Conceição ressalvou ainda que, apesar da sexta vitória consecutiva na Liga, este era um jogo “com dificuldade acima da média”.  “Não só pelo nosso último jogo, na Liga dos Campeões — pelo pouco tempo de recuperação –, mas também pela valia do adversário (…) entrámos com o controlo da posse de bola, mas não tanto do jogo, o que cria sempre intranquilidade. Tivemos duas ou três ocasiões para matar o jogo. Mas fica a boa imagem de uma equipa que tem feito um campeonato fantástico, que subiu de divisão e conseguiu afirmar-se desta forma. Parabéns também aos meus jogadores pela mentalidade que tiveram num jogo difícil. E agora é olhar para o próximo”, acrescentou o técnico azul e branco, que clarificou ainda que Pepe não foi convocado porque não estava apto devido a um “pequeno problema muscular” que ocorreu ainda no jogo com o Liverpool.

Sobre as restantes quatro jornadas da Liga, Sérgio Conceição lembrou que o FC Porto só depende de si “para ganhar os jogos”. “E é isso que vamos fazer. Somos uma equipa que luta pelos três pontos e no fim faz-se as contas. Estamos focados em cada jogo, em cada momento que estamos juntos na preparação dos jogos. Este clube é histórico, por si só tem essa forma de pensar e de agir. Da minha parte obviamente que tento incutir da melhor forma essa força emocional que eles têm de ter nesta fase do Campeonato”, explicou o treinador.