Páscoa

Papa lamenta que migrantes que fogem dos seus países encontrem “portas fechadas”

1.755

O líder da Igreja Católica critica o facto de os refugiados que vêm de outros países muitas vezes e deparem com "portas fechadas" na Europa por uma cultura de medo e cálculo político.

ALESSANDRO DI MEO/EPA

O papa Francisco lamentou esta sexta-feira que os migrantes que fogem dos seus países em conflito encontrem “portas fechadas pelo medo e por armaduras de cálculos políticos“, durante as orações na celebração da Via Sacra na Sexta-feira Santa. Francisco proferiu estas palavras em frente ao Coliseu de Roma, onde criticou também a ganância e o poder e que haja famílias que são “destruídas pela traição, pelas seduções do maligno” ou pelo egoísmo.

Jorge Bergoglio disse que as cruzes do mundo são o “povo faminto de pão e de amor“, o povo “abandonado até pelos seus próprios filhos e parentes”, o “povo sedento de justiça e paz” e “as pessoas que não têm o consolo da fé”. O papa lamentou ainda os “anciãos que rastejam sob o peso dos anos e da solidão” e as crianças “feridas na sua inocência e na sua pureza”.

Criticou “a humanidade que vagueia nas trevas da incerteza e nas trevas da cultura do momento” e lamentou que existam pessoas rejeitadas e marginalizadas. O papa Francisco também mencionou os crentes que, tendo fé e “tentando viver de acordo” com a palavra de Deus, “se encontram marginalizados e deixados de fora até mesmo pelos seus parentes e companheiros”.

Por último, atacou as fraquezas dos seres humanos, a hipocrisia, as traições, os pecados e as promessas quebradas e também o egoísmo que cega os homens pela ganância e poder. “Senhor Jesus, reviva em nós a esperança da ressurreição e sua vitória final contra todo o mal e toda a morte”, concluiu.

Desta forma, o papa pôs fim à cerimónia religiosa da Via Sacra, que como tradição é celebrada no Coliseu de Roma, símbolo da perseguição e do sofrimento dos primeiros cristãos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto
249

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de discriminações.

Igreja Católica

A Europa e a Páscoa dos Cristãos no Mundo

Raquel Vaz-Pinto
357

Ao celebrar a Páscoa e a sua compaixão devíamos reflectir sobre os sacrifícios dos cristãos que vivem longe e fazer a pergunta difícil e dolorosa: conseguiríamos manter a Fé e de seguir o seu exemplo?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)