Em Inglaterra, o Liverpool pode esta temporada sagrar-se campeão inglês 29 anos depois. A equipa de Jürgen Klopp, por incrível que pareça, é uma ilha nas principais Ligas europeias: a Juventus é já octocampeã nacional em Itália, o PSG já conquistou o bicampeonato em França, o Barcelona pode ser bicampeão espanhol já a meio da semana, o Bayern Munique só depende de si para ser heptacampeão alemão e por fim, na Holanda, ou o PSV será bicampeão ou o Ajax regressará aos títulos — mas apenas cinco anos depois da última vez.

O mesmo acontece em Portugal. Entre FC Porto e Benfica, a Primeira Liga terá um bicampeão ou um campeão nacional que conquistará o quinto título nos últimos seis anos. O Sporting, que já não vence o Campeonato há 17 anos, está ainda matematicamente na corrida mas realisticamente longe do primeiro lugar. Quer isto dizer que, à exceção do Liverpool e da Premier League, todas as outras principais Ligas europeias terão esta temporada um vencedor conhecido e habitual nos últimos anos. Os reds, na verdade, só são suplantados no futebol grego.

O PAOK dos portugueses Vieirinha e Sérgio Oliveira sagrou-se este domingo campeão grego pela terceira vez na sua história e quando ainda falta uma jornada para o final do Campeonato — e 34 anos depois da última vez. A equipa orientada pelo romeno Razvan Lucescu só precisava de pontuar frente ao Levadiakos, depois de ter desperdiçado a primeira oportunidade de xeque-mate na semana passada ao empatar com o Larissa, mas acabou por golear em casa com dois golos de Shakhov, um de Biseswar, outro de Swiderski e ainda um do português naturalizado cabo-verdiano Fernando Varela (5-0).

Sem o capitão Vieirinha, que se lesionou na semana passada e não vai voltar a jogar até ao final da temporada, o PAOK contou o contributo de Sérgio Oliveira, que está emprestado pelo FC Porto, logo no onze inicial. Misic, médio croata emprestado pelo Sporting ao clube grego, não chegou a sair do banco de suplentes. Depois de na temporada passada ter sido o AEK a colocar um fim a um ciclo de sete Ligas consecutivas conquistadas pelo Olympiacos, desta vez foi o PAOK a superar a equipa orientada pelo português Pedro Martins.

A festa dos adeptos do clube de Salónica, porém, começou ainda este sábado, dia em que o PAOK assinalou 93 anos de existência. Os apoiantes da equipa de Vieirinha e Sérgio Oliveira iluminaram uma das principais ruas da cidade com luzes vermelhas e anteciparam dessa forma a conquista anunciada do Campeonato grego 34 anos depois.