Rádio Observador

Futebol

Bruno Lage reconhece pressão do Benfica e desvaloriza ausências do Marítimo

Bruno Lage admitiu que está pressionado para vencer o Marítimo e recuperar a liderança da Liga, mas relembrou que sente essa pressão desde que assumiu a liderança do Benfica.

O Benfica é o segundo classificado da I Liga, com 72 pontos, menos três do que o campeão FC Porto

SASCHA STEINBACH/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O treinador Bruno Lage admitiu este domingo que está pressionado para vencer o Marítimo e recuperar a liderança da I Liga portuguesa de futebol, mas relembrou que sente essa pressão desde que assumiu a liderança do Benfica.

A pressão existe sempre nas grandes equipas. Sentimos essa pressão, mas desde o início. São cinco finais e a pressão é chegar ao jogo, fazer boas exibições, proporcionar bons espetáculos e, nesta fase de autênticas finais, errar o menos possível e conquistar os três pontos, para acabar na primeira posição”, disse Lage.

Sobre o adversário no jogo de encerramento da 30.ª jornada do campeonato, Bruno Lage disse tratar-se de uma “equipa muito competente, que está à procura de pontos pela manutenção, organizada e aguerrida, à imagem do seu treinador”, mas reafirmou que o objetivo é “conquistar mais três pontos e seguir em frente”.

Em relação à polémica que envolveu o treinador dos insulares, ao admitir que houve jogadores que ‘forçaram’ o quinto cartão amarelo para falharem o jogo no Estádio da Luz e, dessa forma, estarem disponíveis para o que resta do campeonato, Lage lembrou que esses jogadores também não defrontaram o principal rival das ‘águias’, o FC Porto.

“Esses jogadores jogaram contra o FC Porto? Tive o cuidado de ver e não jogaram. O Petit disse isso quando falou dessa questão. Esses jogadores também não estiveram nesse ‘onze’. Acredito que o Marítimo vai jogar determinado para alcançar o seu objetivo, que é a manutenção”, frisou o técnico.

Depois da eliminação nos quartos de final Liga Europa, na sequência da derrota por 2-0 no estádio dos alemães do Eintracht Frankfurt, Bruno Lage garantiu que, tal como ele, os jogadores não olham para o que perderam, mas para o que podem ganhar.

Acredito que os jogadores também têm essa mentalidade. Após um jogo menos conseguido a equipa soube sempre dar uma boa resposta e é isso que pretendemos para amanhã.”

Confirmada a ausência de Rafa na partida frente aos insulares, devido a suspensão, o treinador do Benfica admitiu que ainda está a ponderar que alternativa irá escolher para suprir a ausência do extremo, mas deixou claro que não haverá poupanças a pensar no jogo de Braga, a próxima deslocação das ‘águias’ no campeonato, no próximo domingo.

“Não pode haver gestão nenhuma nesse sentido. O que acharmos que é o melhor ‘onze’ vai estar lá dentro, independentemente da questão dos amarelos e dos jogadores que possam falhar esse jogo. Quando fazemos essas contas, saem sempre furadas”, advertiu.

O Benfica, segundo classificado da I Liga, com 72 pontos, menos três do que o campeão FC Porto — que tem mais um jogo disputado -, recebe o Marítimo, 12.º colocado, com 33, na segunda feira, às 20:15, no Estádio da Luz, no jogo que encerra a 30.ª jornada.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)