Rádio Observador

Tesla

Após o fumo, o fogo. Model S foi-se em 6 segundos

118

Um cliente da marca americana em Xangai viu o seu Model S ser consumido pelo fogo enquanto estava estacionado numa garagem. As autoridades locais já estão a investigar o incidente e a Tesla também.

Num vídeo publicado no Weibo, o Facebook chinês, gravado pelas câmaras do sistema interno de videovigilância, é possível ver um Tesla Model S dos mais antigos, estacionado ao lado de um Audi A7 Sportback, começar a arder e depois explodir, sem razão aparente. Explicações podem existir muitas, mas se as autoridades chinesas já estavam a analisar o incidente, têm agora a colaboração dos técnicos que a Tesla fez deslocar ao local.

Segundo a CNN, as imagens foram registadas numa garagem às 20h15 de 21 de Abril, ou seja, no domingo de Páscoa. O vídeo foi publicado horas depois de o Tesla ter sido consumido pelas chamas, tendo o mesmo acontecido aos veículos que estavam ao seu lado, mas o filme foi rapidamente partilhado e chegou a outros continentes. Como a Tesla tem acesso a tudo o que acontece a cada instante em cada um dos seus veículos, o fabricante americano já fez deslocar a Xangai uma das suas equipas para assistir a polícia.

Não só Miao Hongyang, o dono do Model S que foi devorado pelas chamas, exige respostas, como a situação preocupa – a avaliar pelos comentários no Weibo – até os não proprietários de veículos da marca norte-americana, que afirmam “não voltar a estacionar junto a um Tesla”.

À semelhança do que já faz em acidentes de todos os tipos, em que a origem não é evidente, tanto nos EUA como na Europa, a Tesla apressou-se a procurar explicações para o acontecido na China, país que é de momento a maior aposta para a marca, pois além de ser o maior mercado do mundo para veículos eléctricos, a Gigafactory 3, ainda em construção, representa um investimento considerável para o construtor.

Enquanto não chegam as conclusões oficiais, o vídeo surpreende pela rapidez com que se passa de uma situação de uma pequena libertação de fumo para um incêndio violento, seguido de explosão.

Sabe-se que as baterias de iões de lítio são dadas a incendiar-se e explodir, bastando que algo corra mal, sendo obviamente sobre este aspecto que a investigação se vai debruçar. Uma pancada por baixo, fruto de um embate forte num passeio, por exemplo, pode danificar a zona inferior do pack de baterias. E se uma das células se romper, o risco existe e é grande. Um pouco à semelhança do que poderia acontecer se a mesma pancada rompesse o depósito de gasolina. Só que, no caso das baterias, é mais difícil de ver de imediato. A acompanhar com atenção.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
Política

A sobrevivência do socialismo /premium

André Abrantes Amaral

O socialismo é a protecção de um sector contra os que ficam de fora. O desejo de ordem e a desresponsabilização é natural entre os que querem segurança a todo o custo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)