Um sismo de magnitude 6.3 foi registado na zona central das Filipinas esta segunda-feira, afirmou a Reuters citando a U.S. Geological Survey (USGS). Segundo uma testemunha ocular citada pela mesma agência noticiosa, vários edifícios no distrito financeiro de Manila agitaram durante o abalo.

O epicentro foi registado a 60 quilómetros de Manila (a noroeste), a uma profundidade de 40 quilómetros. O USGS inicialmente afirmou que a magnitude era de 6.4 mas depois atualizou o registo.O sismo ocorreu às 17:11 locais (10:11 em Lisboa) com o epicentro a uma profundidade de 40 quilómetros, indicou o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

As autoridades filipinas aumentaram esta terça-feira para 16 o número de mortos causado por um sismo de magnitude 6,1 na escala de Richter registado no norte do país na segunda-feira, que provocou o desmoronamento de edifícios. Ainda estão 24 pessoas desaparecidas, por desabamento de dois edifícios: três na vila de Porac, outras duas em Lubao, disse o governador de Lubao à ABS-CBN, uma cadeia de televisão filipina.

De acordo com as informações avançadas esta terça-feira, as autoridades continuam a tentar resgatar pelo menos 30 pessoas presas nos escombros causados pela queda de um supermercado.

Entre as vítimas mortais, 15 registaram-se na província de Pampanga, no centro da ilha de Luzón, a cerca de 100 quilómetros de Manila, onde o terramoto foi sentido com muita intensidade, segundo o Centro Nacional de Gestão de Desastres.

O sismo provocou ainda um corte de energia que dificultou muito o trabalho dos socorristas durante a noite.

A governadora de Pampanga, Lília Pineda, pediu esta terça-feira que seja declarada o mais depressa possível o “estado de calamidade” naquela província “para poder ajudar rapidamente as famílias das vítimas cujas casas sofreram danos”.

As equipas de resgate encontraram mais corpos durante a noite nos escombros de um supermercado que caiu depois do terramoto que danificou edifícios e um aeroporto no norte das Filipinas.

Os socorristas usaram guindastes, pés-de-cabra e cães pisteiros para procurar pessoas nos escombros, algumas dos quais continuavam a gritar por ajuda.

Durante as operações foram utilizados tubos para bombear oxigénio, na esperança de ajudar as pessoas presas a respirar.

Esta terça-feira, as equipas de resgate conseguiram retirar dos escombros mais uma pessoa com vida.

Até esta terça-feira de manhã, foram registadas mais de 400 réplicas do terramoto, embora apenas oito tenham sido percetíveis, de acordo com o Instituto de Vulcanologia e Sismologia das Filipinas.