Comida

Câmara de Almeirim quer certificar a Sopa da Pedra

O início do processo de certificação dar-se-á com a entrega de um caderno de encargos à secretária de Estado do turismo. Além da Sopa da Pedra, a autarquia quer certificar também o melão de Almeirim.

A Sopa da Pedra é um dos pratos típicos da localidade de Santarém

Paulo Cunha/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A Câmara de Almeirim vai entregar na quarta-feira à secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o caderno de encargos para a certificação da Sopa da Pedra para ser entregue depois na Direção Regional de Agricultura.

O presidente da Câmara Municipal de Almeirim (distrito de Santarém), Pedro Ribeiro, disse à Lusa que a entrega vai acontecer durante uma cerimónia realizada no salão nobre da Câmara, contando com a presença de várias entidades, entre elas a presidente da Região do Turismo, a Associação de Restaurantes e a secretária de Estado do Turismo.

O autarca afirmou que esta iniciativa “está inserida numa estratégia que a câmara tem vindo a desenvolver de certificação de vários produtos regionais” com o objetivo de impulsionar o turismo e promover cada vez mais os produtos locais.

“O objetivo é certificar o prato, que tem um conjunto de características únicas que têm a ver, por um lado, com aquilo que é a tradição de o fazer em Almeirim e, por outro lado, com um conjunto de ingredientes (desde os enchidos ao feijão) que têm de ser específicos sob pena de o resultado final não ser o da Sopa da Pedra”, salientou.

De acordo com o presidente, esta certificação vai garantir que quem visite Almeirim e tencione comer a Sopa da Pedra, o possa fazer com certezas de que é a verdadeira.

Além da Sopa da Pedra, Almeirim está também a desenvolver outro caderno de encargos para a certificação do melão e já certificou, em 2018, a “caralhota”, pequeno pão cozido em forno de lenha, ambos produtos do concelho.

Nesta cerimónia vai ainda ser assinado um protocolo com os restaurantes da zona, em conjunto com a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo), que também se comprometem em ter na sua carta de vinhos, pelo menos, 50% de vinhos da região do Tejo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filhos

Guarda conjunta em residência alternada /premium

Eduardo Sá
120

A recomendação de ser “regra” o regime de guarda conjunta com residência alternada, se mal gerida, pode trazer a muitas crianças uma regulação da responsabilidade parental mais populista do que justa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)