Atualidade

“Irra que é feio!” Este SUV assustou os americanos

O Salão de Nova Iorque elegeu o modelo mais feio entre todos os expostos na Big Apple. E, de forma quase unânime, a escolha recaiu no Karlmann King, um SUV que não deixa ninguém indiferente.

O Salão de Nova Iorque teve surpresas de todos os tipos, dos automóveis mais acessíveis aos modelos mais dispendiosos, passando pelos mais desportivos e potentes, mas também pelos mais espaçosos e familiares. E se havia veículos apaixonantes, um deles foi criticado por ser particularmente feio. A estética é algo muito pessoal, pois o que alguém detesta pode ser apreciado por outros. Em último caso, o que interessa mesmo, quando se produz um novo veículo, é determinar se, no final, haverá clientes suficientes para adquirir – e de preferência rapidamente – toda a produção.

O modelo que suscitou tanta repulsa foi o Karlmann King – basta ler Jalopnik, que tanto ofende o fabricante como os seus potenciais clientes –, SUV de que falámos no início de 2018. Embora com uma produção limitada a 10 unidades, a Karlmann decidiu levar o King a Nova Iorque, talvez porque ainda não tenha conseguido escoar todos os exemplares deste “espécime”. O que não admira, uma vez que cada SUV é transaccionado por 2,2 milhões de dólares, cerca de 1,9 milhões de euros, um valor bastante superior ao que a marca exigia há 12 meses.

O Karlmann King foi desenhado como de fosse um avião caça furtivo, daqueles que não é “apanhado” pelos radares. Cheio de ângulos e de dimensões monstruosas, o curioso é que o King não passa despercebido mesmo a um míope. Propriedade dos chineses da IAT, mas concebido e fabricado na Europa, não nos parece que tenha sido a estética a irritar mais os jornalistas americanos. A explicação para o desagrado deverá ser encontrada junto do facto de, apesar do preço elevado, o King ser na realidade uma pick-up Ford F550, um modelo considerado pela marca americana como Heavy  Duty, com um peso de 3.900 kg. E todos sabemos o eficaz que são, em termos de conforto e comportamento, os chassis de longarinas dos camiões.

Outro detalhe que não deverá ter caído bem junto dos visitantes do salão foi a mecânica, pois quem paga 2,2 milhões de dólares exige um motor com mais nobreza do que o 6.8 V10 a gasolina, com 367 cv. Potência que pode impressionar num Focus, mas não num monstro que pesa 5 toneladas na versão normal, e 6,6 se for blindado. Isto, aliado ao comportamento menos eficaz, explica que o Karlmann King não passe dos 140 km/h, com a aceleração de 0-100 km/h a ser medida quase em minutos…

Outro “contra” deste SUV com ar ameaçador residirá na sua duvidosa qualidade de construção. Com um habitáculo concebido para apenas quatro adultos, o King oferece espaço e pele – mesmo de crocodilo, para deixar os ambientalistas furiosos –, mas os acabamentos não impressionavam após uma análise mais minuciosa. E os faróis também tão, pois o modelo exposto tinha um deles convertido num aquário, tal a quantidade de água que entrou na lavagem. Mas se os chineses da IAT aplicarem a conhecida máxima que diz que o mais importante não é que falem bem de um produto, o que interessa é que falem, é possível que estejam satisfeitos.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)