O plano de paz israelo-palestiniano prometido pelo presidente dos EUA deverá ser revelado após o Ramadão, que termina por volta de 4 de junho, disse esta terça-feira Jared Kushner, genro e assessor de Donald Trump.

Durante uma conferência organizada pela revista Time, em Nova Iorque, Jarek Kushner disse que o plano de paz entre israelitas e palestinianos está já preparado e deverá assumir que a solução de dois estados falhou, pelo que uma nova perspetiva deve ser experimentada.

A revelação do timing do plano acontece no mesmo dia em que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse querer dar o nome de Donald Trump a um novo colonato nos montes Golã, em agradecimento pelo reconhecimento norte-americano da soberania israelita sobre aquele território.

Numa visita aos montes Golã, Netanyahu disse que é “necessário expressar o agradecimento” ao presidente dos EUA e que avançará com uma resolução para que o novo colonato se chame “Donald Trump”.

Em março, Donald Trump reconheceu oficialmente a soberania israelita sobre o território que foi capturado à Síria na guerra de 1967 e que Israel anexou em 1981, numa decisão nunca reconhecida por grande parte da comunidade internacional.

Estima-se que cerca de 20 mil israelitas vivam nos montes Golã.