Rádio Observador

Óscares

Filmes de plataformas de streaming mantêm elegibilidade para os Óscares

Steven Spielberg tinha sugerido que filmes produzidos e exibidos em plataformas como a Netflix ficassem impedidos de ser eleitos. A Academia mantém, no entanto, a lei intacta.

A 92.ª edição dos Óscares está marcada para 9 de fevereiro de 2020

TANNEN MAURY/EPA

Os filmes produzidos e exibidos por plataformas digitais de streaming vão continuar a ser elegíveis para os Óscares, por decisão da Academia de Cinema dos Estados Unidos anunciada esta quarta-feira.

O conselho diretivo da academia anunciou algumas alterações nas regras para a próxima edição dos Óscares, de 2020, mas manteve intacta a que diz respeito à elegibilidade dos filmes para serem nomeados.

Em fevereiro a publicação Indiewire noticiava que um dos membros do conselho diretivo da Academia, o realizador e produtor Steven Spielberg, iria propor que os filmes produzidos e exibidos em plataformas de streaming, como a Netflix, ficassem impedidos de ser nomeados para os Óscares.

O conselho diretivo reuniu-se na terça-feira para aprovar as regras para a próxima edição dos Óscares, com Spielberg ausente, tendo decidido que aqueles filmes continuarão a ser elegíveis, desde que – tal como tem acontecido até aqui – tenham também pelo menos sete dias de exibição nos cinemas no condado de Los Angeles, Califórnia.

“Apoiamos a experiência da exibição em sala como parte integrante da arte das imagens em movimento e isso teve um peso importante nas nossas discussões”, afirmou o presidente da academia, John Bailey, em comunicado, sublinhando que a organização planeia estudar “as profundas alterações que estão a acontecer na indústria” cinematográfica.

Em causa está não só a elegibilidade para os Óscares de filmes que foram produzidos e exibidos em plataformas online, como “Roma”, de Alfonso Cuarón, premiado este ano, como também a forma como atualmente se consome cinema, em sala ou num pequeno ecrã.

Entre as alterações aprovadas pela Academia para a 92.ª edição está, por exemplo, a mudança do prémio de melhor filme em língua não inglesa. Passa a designar-se “Melhor Filme Internacional”, para que se olhe para a arte do cinema de forma mais inclusiva e enquanto “experiência universal”.

Na categoria de melhor filme de animação cai a obrigatoriedade de exibição em sala comercial das obras elegíveis.

A 92.ª edição dos Óscares está marcada para 9 de fevereiro de 2020.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)