Os dois bombistas suicidas que terão provocado as expulsões num dos hóteis de luxo atacados este domingo de Páscoa no Sri Lanka, o Shangri-La Hotel, foram filmados a dirigirem-se ao local onde consumariam, minutos depois, o ataque. As imagens das câmara de vigilância do hotel mostram os suspeitos na sala de pequenos-almoços rodeados de turistas.

Este foi um dos alvos da série de ataques coordenados no Sri Lanka que fizeram 359 vítimas mortais, de acordo com os números mais recentes. A imagens foram divulgadas pelo canal srilankês News1st e mostram os dois  supostos atacantes, referindo mesmo um deles como o “cérebro dos ataques”. Os dois saem no terceiro andar do edifício, na sala de pequenos almoços à hora de maior afluência deste local. Os ataques aconteceram precisamente perto das nove da manhã locais.

Os dois suspeitos subiram no elevador com mochilas às costas no hotel onde explodiram precisamente duas bombas. Na capital do país, Colombo, os ataques começaram por três hotéis de luxo (Kingsbury Hotel, o Shangri-La e o Cinnamon Grand Colombo) e várias igrejas.

O ataque foi entretanto reivindicado pelo auto-proclamado Estado Islâmico, através de um anúncio feito no portal de notícias Amqa com uma mensagem que dava conta que “os autores do ataque que teve como alvo cidadãos da aliança dos cruzados (coligação anti-ISIS liderada pelos Estados Unidos) e cristãos eram combatentes do Estado Islâmico”.

O Al Ghuraba Media (meio de divulgação que suporta o ISIS) divulgou ainda um vídeo onde surgem sete homens, vestidos de preto e tapados com lenços, que prestam juramente ao líder do Estado Islâmico, Abou Bakr al-Baghdadi. Entre estes homens estarão os autores dos atentados no Sri Lanka, de acordo com o ISIS. A informação não foi, no entanto, confirmada por fontes independentes.

[Como entraram, porque o fizeram. Vídeos revelam novas pistas sobre atentado no Sri Lanka]