Cerca de 1.300 migrantes evadiram-se de um centro de detenção no sul do México na noite de quinta-feira, avança esta sexta-feira o jornal britânico The Guardian. Metade dos migrantes regressaram mais tarde às instalações do centro Siglo XXI, mas cerca de 600 estão ainda em fuga, revela o Instituto Nacional de Migração local.

O centro acolhe maioritariamente migrantes cubanos que tentam chegar aos Estados Unidos e terão sido estes a organizar a fuga, refere o Instituto. O Siglo XXI está completamente lotado e migrantes do Haiti e de países da América central também estarão entre os fugitivos.

Nos últimos 30 dias, aumentou substancialmente o número de famílias da América Central que procuram asilo na fronteira entre os Estados Unidos e o México. As autoridades locais não têm meios suficientes para responder aos milhares de migrantes que tentam chegar aos Estados Unidos e 15.000 migrantes foram obrigados a voltar aos seus países de origem.

O presidente norte-americano, Donald Trump, tem pressionado as autoridades mexicanas para travar o fluxo de migrantes que tentam procurar melhores condições de vida nos Estados Unidos. Trump já ameaçou mesmo fechar parte da fronteira entre os dois países se o México não bloquear este fluxo migratório.

A maioria dos migrantes que atravessam o México provêm da Guatemala, Honduras e El Salvador e o povo cubano está a juntar-se cada vez mais às “caravanas”.