As autoridades cabo-verdianas anunciaram este domingo a apreensão e destruição de 30 mil litros de solução para a falsificação da bebida alcoólica grogue na ilha de Santiago, produto que põe em risco a saúde pública e pode provocar a morte. Segundo um comunicado da Inspeção Geral das Atividades Económicas de Cabo Verde (IGAE-CV), os 30 mil litros de solução para a falsificação do grogue foram apreendidos e destruídos esta semana no interior de Santiago.

Destes, mais de 21 mil litros foram encontrados em Santa Cruz, onde se regista uma “resistência” ao cumprimento da lei do grogue. A solução encontrada é composta de recalda e açúcar refinado e água, que não fermenta naturalmente. Por esta razão, explica a IGAE-CV, “são introduzidos produtos com carga biológica para provocar a fermentação”.

Esta prática tem afetado gravemente a saúde pública, levando muitas vezes à morte dos jovens e deixando outros completamente doentes e dependentes”, lê-se no comunicado.

Atualmente decorre a época de produção do grogue em Cabo Verde (01 de janeiro a 31 de maio), altura em que a IGAE e os seus parceiros – Polícia Nacional e Fiscalização Municipal — têm intensificado a fiscalização, o que continuará a acontecer “até à selagem dos alambiques”.

Para estancar estas produções ilegais, a IGAE anunciou que vai iniciar o fecho da produção no próximo dia 01 de junho e solicitar à Direção Nacional da Indústria a não prorrogação do período de produção para aqueles que não comprovarem a existência de cana-de-açúcar ou aos prevaricadores.

No passado dia 16, a IGAE-CV anunciou a descoberta, num sótão de uma casa antiga, no município de Ribeira Grande de Santiago, de “30 mil litros de preparo de recalda e açúcar em estado precário de fermentação para falsificação do grogue, pondo em causa a saúde pública e a valorização do grogue”.

“Para desviar as autoridades de fiscalização, o esquema de fermentação para desviar as autoridades de fiscalização contava com uma canalização que conduzia a matéria fermentada para o alambique para, de seguida, ser destilada”, explicou a IGAE-CV.

Na altura, este organismo referiu que, desde o início do período de produção do grogue, tinha sido encontrado e destruído em Ribeira Grande de Santiago quase 60 mil litros de solução para falsificação do grogue, tornando-o no município onde ocorreu o maior volume de apreensão.