O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou “uma emboscada” no Sri Lanka por três ‘jihadistas’ que causou 17 vítimas, entre mortos e feridos, depois de as autoridades terem contabilizado 16 mortos numa operação contra terroristas. As forças de segurança do Sri Lanka já tinham anunciado, no sábado, a morte de 16 pessoas como resultado de uma rusga na mesma localidade.

A agência Amaq, vinculada ao Estado Islâmico, informou no sábado através da rede social Telegram que “caíram 17 membros da polícia, entre mortos e feridos, numa emboscada preparada por três ‘jihadistas’ do EI na noite de sexta-feira”. Segundo a Amaq, o ataque ocorreu na cidade de Kalmunai, onde se realizou uma operação policial.

As forças de segurança do Sri Lanka anunciaram no sábado a morte de 16 pessoas em confrontos, incluindo seis crianças, três mulheres e seis terroristas, em Kalmunai, além da detenção de uma centena de pessoas por envolvimento nos atentados de domingo de Páscoa, que provocaram 253 mortos, entre eles um português, e mais de 500 feridos.

Desde os atentados de há uma semana, reclamados pelo Estado Islâmico, a polícia tem feito rusgas e desativado dezenas de explosivos.

A operação policial de sexta-feira começou depois de um aviso sobre uma casa onde se escondiam pessoas vinculadas aos atentados suicidas ocorridos na Páscoa. Posteriormente, houve um tiroteio e uma série de explosões. A maioria das mortes sucedeu quando, de acordo com as autoridades, seis suicidas munidos de explosivos se imolaram, matando os seus próprios familiares.