Os motores a gasóleo sofreram mais uma dura machadada em Março, ao atingir apenas 31% do mercado, depois dos 36% conseguidos no mesmo mês de 2018, quebra que é compensada pelo crescimento da procura por motores a gasolina, que subiram de 57% em 2018 para 60% este ano. O que são péssimas notícias para o ambiente, uma vez que os diesel produzem substancialmente menos dióxido de carbono (CO2).

Mas nem todas as notícias são más, pois Março assistiu igualmente ao crescimento das vendas das motorizações híbridas, híbridas plug-in e eléctricas, que depois de um share de 5,3% no ano transacto, alcançaram 7,1% em 2019. Deste crescimento, que permitiu pela primeira vez ultrapassar as 100.000 unidades de veículos electrificados, a procura relativa aos híbridos plug-in caiu 2%, enquanto os híbridos venderam mais 24%. Contudo, o maior salto foi o dos eléctricos, cujo volume de vendas aumentou 85%.

Outra novidade de Março tem a ver com o ranking das vendas dos automóveis eléctricos. Tudo porque há um novo líder destacado. No terceiro mês do ano, a Tesla comercializou 15.683 unidades do Model 3, ultrapassando com larga vantagem a concorrência. Depois do eléctrico americano, o segundo mais vendido foi o Renault Zoe, com 4.277 unidades, batendo assim o seu habitual rival, o Nissan Leaf, que transaccionou apenas 3.783 veículos, o que deixou com uma vantagem não muito confortável sobre o BMW i3 (3.159 unidades). O quinto mais vendido foi o VW e-Golf, com 1.983 veículos.

Os quatro híbridos mais vendidos tinham todos emblema Toyota, respectivamente Yaris, C-HR,  Corolla e Rav4, com a 5ª posição do ranking a pertencer ao Kia Niro. Entre os híbridos plug-in o mais vendido continua a ser o Mitsubishi Outlander, à frente do Mini Countryman, BMW Série 5, Volvo XC60 e BMW Série 2.