A chegada de um novo membro da família real britânica é motivo de celebração. Mas na impossibilidade de adivinhar a data exata da grande ocasião as ruas de Windsor permanecem relativamente desertas, como atesta o correspondente real Chris Ship na respetiva conta de Twitter. A exceção é Terry Hutt, o octogenário que por diversas vezes foi entrevistado por jornais britânicos vestido com a bandeira do Reino Unido da cabeça aos pés — a 19 de maio do ano passado lá estava Terry nas ruas de Windsor na companhia de outros “super-fãs” da realeza para ver a carruagem passar com os já casados Harry e Meghan Markle a bordo. Esta terça-feira, porém, há um detalhe curioso: Terry celebra 84 anos e de cartazes nas mãos — um caso o futuro bebé seja menino, outro caso seja menina — espera ansiosamente poder partilhar a data de aniversário com o mais novo elemento de sangue azul.

“Espero que seja hoje! Hoje são os meus 84 anos, Meghan e Harry!”, lê-se num dos cartazes com que foi fotografado. Também conhecido como “the Union Jack Man”, por estar frequentemente vestido com o padrão da bandeira do Reino Unido, Terry Hutt é presença frequente nas ocasiões reais. A dedicação à monarquia britânica é tanta que, numa altura de indecisão, chegou-se à frente e ofereceu-se para levar Meghan Markle ao altar. De acordo com esta publicação australiana, Terry seguiu a realeza britânica durante toda a vida e com apenas 4 anos de idade viu pela primeira vez Jorge VI, a sua mulher e Isabel II.

Uma operação ao coração atirou-o mais cedo para a reforma aos 58 anos e, desde então, Terry não perde um evento associado à realeza — aquando do nascimento da princesa Charlotte, a segunda filha de William e Kate, o britânico acampou durante seis dias às portas da maternidade Lindo Wing. No período de espera Terry celebrou os 80 anos — Charlotte faz quatro anos no próximo dia 2 de maio — e, em jeito de celebração, os representantes dos duques de Cambridge enviaram-lhe um bolo com uma carta com o selo personalizado do príncipe William.

Terry Hutt espera agora nas ruas de Windsor pela derradeira prenda de aniversário — um bebé real com quem partilhar o dia –, mas não espera sozinho. A seu lado está Margaret Tyler, a mulher que já foi apelidada de “fã número um da monarquia” e que tem uma das maiores coleções de “memorabilia” da família real britânica. Há um ano, por altura do casamento de Harry com Meghan Markle, Margaret abriu as portas de casa para receber o Observador e fez uma tour pelas muitas canecas, pratos e molduras que ocupam praticamente toda a superfície da pequena vivenda.