O objectivo da Jaguar Land Rover é trocar informações por dinheiro, com os pagamentos a serem realizados em bitcoins (moeda electrónica) para evitar impostos. Os sistemas de navegação vão ser cada vez mais sofisticados e capazes de ajudar ainda mais o condutor, não só informando-o sobre o caminho mais curto (ou mais rápido) para chegar ao destino, como também a ter em conta o trânsito, o estado da via e tudo o que lhe pode permitir ganhar tempo.

Para que o sistema de navegação que equipa os modelos da Jaguar Land Rover opere um pouco à semelhança do que já acontece com o Waze, mas com ainda mais dados, é necessário que os clientes forneçam informações sobre o que observam ao longo dos percursos que efectuam diariamente. Mas sem qualquer esforço, pois quem na realidade vai realizar todo o trabalho, desde reunir a informação até enviá-la para o construtor, é o carro, sem qualquer intervenção de quem está ao volante.

O grupo inglês não especifica a forma como vai funcionar o Smart Wallet, sob o ponto de vista tecnológico, mas tudo indica que os veículos vão recorrer à câmara frontal para registar as condições de trânsito, o estado do piso (seco ou molhado), a presença de gelo, buracos ou obras, entre outros pormenores que podem tornar qualquer deslocação mais morosa. À medida que o seu automóvel recolhe e envia os dados para a sede do fabricante, o condutor recebe uma transferência em bitcoins (que o construtor ainda não especificou) e todos ficam satisfeitos.

De forma imediata, a Jaguar Land Rover envia a todos os modelos que circulam na região as informações recolhidas, permitindo que os outros condutores beneficiem das potencialidades do sistema para gerir melhor os percursos, poupando tempo e evitando acidentes. Facilmente este sistema será complementado com outros serviços, como a detecção de lugares livres de estacionamento, que igualmente irá beneficiar os restantes condutores.

O sistema Smart Wallet já está em fase de testes, de momento apenas com um Jaguar F-Pace e um Range Rover Velar, que estão a colocar à prova o funcionamento da solução na cidade irlandesa de Shannon.

No vídeo divulgado pela marca ficamos com uma ideia sobre como tudo funciona, com a marca a adiantar que os condutores podem optar por revelar mais ou menos informação, sendo pagos em concordância com o volume de informações prestadas. As bitcoins podem depois ser utilizadas para pagar portagens, estacionamento, recarga de veículos eléctricos, combustível e até para tomar café, em determinados locais.