Rússia

Mais de 100 pessoas detidas na Rússia em manifestações do 1.º de Maio contra Putin

141

Cerca de 100 pessoas foram hoje detidas durante as manifestações do 1.º de Maio em toda a Rússia, tendo mais de metade ocorrido em São Petersburgo, segundo o grupo ativista OVD-Info.

YURI KOCHETKOV/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Cerca de 100 pessoas foram detidas esta quarta-feira durante as manifestações do 1.º de Maio em toda a Rússia, tendo mais de metade ocorrido em São Petersburgo, segundo o grupo ativista OVD-Info.

Esta organização não-governamental adianta que pelo menos 68 pessoas foram detidas em São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia, durante uma manifestação contra o Presidente Vladimir Putin, por ocasião das celebrações do 1.º de Maio.

Segundo a OVD-Info, organização não-governamental russa que monitoriza as detenções, duas pessoas ficaram feridas em São Petersburgo, onde cerca de duas mil pessoas, incluindo apoiantes do líder da oposição Alexei Navalny, comunistas e membros do partido comunista participaram no desfile do 1.º de Maio

Alguns dos manifestantes, a maior parte apoiantes do líder da oposição Alexei Navalny, exibia cartazes onde se lia “Putin não é imortal” em referência ao Presidente Vladimir Putin, que está no poder desde 2000.

Os manifestantes anti-Kremlin agitavam também cartazes com a imagem do Presidente russo, enquanto outros gritavam palavras de ordem como “Putin é um ladrão”, perante forte presença policial.

“A polícia deteve vários manifestantes que gritavam palavras de ordem contra Putin, sob o olhar de outros manifestantes que gritavam “fascistas” ou “vocês não nos vão intimidar” para os agentes da autoridade, segundo um correspondente da AFP.

O descontentamento no seio da população tem crescido na Rússia nos últimos anos, principalmente devido a uma controversa reforma das pensões e à queda do nível de vida, como resultado das sanções ocidentais contra a Rússia após a anexação da península da Crimeia.

Os índices de popularidade de Vladimir Putin têm vindo a diminuir e o Presidente russo assinou em março um documento que autoriza os tribunais a multar e a prender por períodos curtos quem desafie as autoridades.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)