A Albatroz Engenharia, especializada nas áreas da robótica, aeronáutica, software, mecânica e eletrónica vai instalar-se em Castelo Branco e aí investir, nos próximos dois anos, 1,1 milhões de euros, foi esta segunda-feira anunciado.

O administrador Gomes Mota explicou, em conferência de imprensa, que o investimento que a empresa vai realizar em Castelo Branco, onde se irá instalar no aeródromo local, é de 1,1 milhões de euros nos próximos dois anos. A empresa, que está a recrutar colaboradores, fica instalada, numa fase inicial, no Centro de Empresas Inovadoras (CEI) de Castelo Branco, passando posteriormente para o hangar do aeródromo local.

Com sede em Lisboa, a Albatroz iniciou as suas atividades em março de 2006 e criou duas soluções inovadoras para inspeções de linhas elétricas aéreas com ferramentas e sensores integrados, interativos e com resultados em tempo real para melhorar a qualidade de serviço elétrico enquanto se minimiza os custos de manutenção.

Numa fase inicial, vai recrutar uma primeira equipa de seis colaboradores nas áreas da informática, aeronáutica, eletrónica, mecânica e eletrotécnica, sendo que o administrador não quer avançar, para já, com números futuros. “Se fosse só para recrutar seis pessoas não estávamos a investir 1,1 milhões de euros em dois anos”, frisou.

Já o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, disse que este é “um momento importante” para o concelho. “Foi feito um conjunto de investimentos numa perspetiva estratégica para o concelho. Um dos investimentos que fizemos e que temos dotado de meios e melhorado foi o aeródromo de Castelo branco. Esta empresa decidiu vir para cá, não são muitos os postos de trabalho, mas são recursos humanos altamente qualificados”, sublinhou. O autarca realçou ainda a interligação com o Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), que fez uma aposta na área da aeronáutica, sobretudo nos drones.

A Albatroz tem como principal objetivo o desenvolvimento de soluções inovadoras de elevado valor acrescentado dirigidas às necessidades dos clientes, agregando, no mesmo produto, competências ao nível da engenharia aeronáutica, robótica, software e processamento de sinal. Para além de produtos e software, oferece ainda serviços de análise de dados. O seu produto bandeira, o Power Line Maintenance Inspection (PLMI) foi desenvolvido em três variantes, duas das quais estão já a voar em Portugal, Espanha e França.

A solução LiDAR para manutenção da vegetação (“inspeção da faixa da linha”) conta já com mais de 300 mil quilómetros desde a sua criação.

Foram ainda desenvolvidos outros protótipos de produtos, incluindo uma ferramenta para inspeção de linhas férreas, um sistema de modelação 3D para arqueologia ou cenários virtuais e uma ferramenta de medição laser (Laser Measurement Tool LMT).

As soluções desenvolvidas pela empresa podem ainda ser utilizadas na floresta (combate a incêndios), redes elétricas e geologia e minas.