Castelo Branco

Empresa ligada à aeronáutica investe 1,1 milhões de euros em Castelo Branco nos próximos dois anos

A Albatroz está a melhorar e a dotar de meios o aeródromo da cidade e a fazer investimentos numa perspetiva estratégica para o concelho. A empresa aliou-se ainda ao Instituto Politécnico local.

A Albatroz iniciou as suas atividades em março de 2006. Está neste momento a recrutar uma equipa de seis colaboradores

Getty Images/iStockphoto

A Albatroz Engenharia, especializada nas áreas da robótica, aeronáutica, software, mecânica e eletrónica vai instalar-se em Castelo Branco e aí investir, nos próximos dois anos, 1,1 milhões de euros, foi esta segunda-feira anunciado.

O administrador Gomes Mota explicou, em conferência de imprensa, que o investimento que a empresa vai realizar em Castelo Branco, onde se irá instalar no aeródromo local, é de 1,1 milhões de euros nos próximos dois anos. A empresa, que está a recrutar colaboradores, fica instalada, numa fase inicial, no Centro de Empresas Inovadoras (CEI) de Castelo Branco, passando posteriormente para o hangar do aeródromo local.

Com sede em Lisboa, a Albatroz iniciou as suas atividades em março de 2006 e criou duas soluções inovadoras para inspeções de linhas elétricas aéreas com ferramentas e sensores integrados, interativos e com resultados em tempo real para melhorar a qualidade de serviço elétrico enquanto se minimiza os custos de manutenção.

Numa fase inicial, vai recrutar uma primeira equipa de seis colaboradores nas áreas da informática, aeronáutica, eletrónica, mecânica e eletrotécnica, sendo que o administrador não quer avançar, para já, com números futuros. “Se fosse só para recrutar seis pessoas não estávamos a investir 1,1 milhões de euros em dois anos”, frisou.

Já o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, disse que este é “um momento importante” para o concelho. “Foi feito um conjunto de investimentos numa perspetiva estratégica para o concelho. Um dos investimentos que fizemos e que temos dotado de meios e melhorado foi o aeródromo de Castelo branco. Esta empresa decidiu vir para cá, não são muitos os postos de trabalho, mas são recursos humanos altamente qualificados”, sublinhou. O autarca realçou ainda a interligação com o Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), que fez uma aposta na área da aeronáutica, sobretudo nos drones.

A Albatroz tem como principal objetivo o desenvolvimento de soluções inovadoras de elevado valor acrescentado dirigidas às necessidades dos clientes, agregando, no mesmo produto, competências ao nível da engenharia aeronáutica, robótica, software e processamento de sinal. Para além de produtos e software, oferece ainda serviços de análise de dados. O seu produto bandeira, o Power Line Maintenance Inspection (PLMI) foi desenvolvido em três variantes, duas das quais estão já a voar em Portugal, Espanha e França.

A solução LiDAR para manutenção da vegetação (“inspeção da faixa da linha”) conta já com mais de 300 mil quilómetros desde a sua criação.

Foram ainda desenvolvidos outros protótipos de produtos, incluindo uma ferramenta para inspeção de linhas férreas, um sistema de modelação 3D para arqueologia ou cenários virtuais e uma ferramenta de medição laser (Laser Measurement Tool LMT).

As soluções desenvolvidas pela empresa podem ainda ser utilizadas na floresta (combate a incêndios), redes elétricas e geologia e minas.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)