Cabo Verde

Presidente cabo-verdiano diz que relações entre a Alemanha e Cabo Verde “devem ser intensificadas”

Jorge Carlos Fonseca frisou que um dos objetivos da sua presença no fórum foi "transmitir confiança aos investidores" e "dar-lhes um sinal de incremento e incentivo" às relações entre os dois países.

O Presidente da República de Cabo Verde explicou que o país oferece "importantes benefícios fiscais em setores como o turismo, o marítimo, as energias renováveis, a indústria, o agronegócio, entre outros"

TIAGO PETINGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, defendeu que as relações económicas com a Alemanha “devem ser identificadas”, sublinhando, em Berlim, os “importantes benefícios” que o país oferece.

Num discurso, durante o fórum sobre “Negócios e Oportunidades de Investimento em Cabo Verde”, realizado na Representação da Agência para a Cooperação Internacional (GIZ), o chefe de Estado referiu que um dos objetivos da sua presença foi “transmitir confiança aos investidores” e “dar-lhes um sinal de incremento e incentivo” às relações entre os dois países.

“Entendo que estas relações, que existem já há bastante tempo, desde os primórdios da independência de Cabo Verde, devem ser intensificadas, através de mecanismos como este fórum, que, estou certo, trouxe contribuições importantes para o incremento e incentivo das relações económicas e empresariais entre os dois países”, disse Jorge Carlos Fonseca.

O Presidente da República de Cabo Verde, que fez parte do discurso em alemão, explicou que o país oferece “importantes benefícios fiscais em setores como o turismo, o marítimo, as energias renováveis, a indústria, o agronegócio, entre outros”.

“Considero ainda muito importante que possamos estabelecer mecanismos de contacto, e trocas de visitas regulares entre as associações empresariais alemãs e as cabo-verdianas, na convicção de que esse diálogo e contactos contribuirão sobremaneira para a elaboração e aperfeiçoamento de estratégias de investimento, para o crescimento das nossas economias e o bem-estar dos nossos povos”, frisou.

Jorge Carlos Fonseca lembrou aos empresários e investidores que Cabo Verde tem “uma moeda estável” e que é membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), com a presidência desde julho de 2018 até julho de 2020. Lembrou também que o país registou a passagem de cerca de 750 mil turistas, e espera chegar a um milhão em 2021, “boa parte deles de origem alemã”.

O chefe de Estado cabo-verdiano lembrou “a recente decisão de abolir os vistos de entrada de cidadãos europeus em Cabo Verde”, uma medida que “deverá contribuir ainda mais para o aumento do fluxo de turistas da Alemanha e de outros parceiros da União Europeia”.

“Os acordos de parceria são autênticas âncoras estratégicas e normativas para a atuação conjunta de empresários nos vários mercados, são verdadeiras alianças estratégicas que permitirão às empresas cabo-verdianas e alemãs, como é o caso da TUI, por exemplo, acompanhar e ouvir o que o Governo de Cabo Verde tem em carteira como incentivo ao investimento externo”, salientou ainda o Presidente da República de Cabo Verde.

A visita do Presidente da República de Cabo Verde à Alemanha termina hoje. Jorge Carlos Fonseca vai ainda encontrar-se com o homólogo, Frank-Walter Steinmeier, visitar o Memorial do Muro de Berlim e o Centro Jacob e Wilhelm Grimm da Universidade Humboldt.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)