O filho do príncipe Harry do Reino Unido e da ex-atriz norte-americana Meghan Markle (duques de Sussex) nasceu esta segunda-feira, mas já tem uma série de bens de luxo a que pode chamar seus. O novo membro da família real britânica, que ocupa o sétimo lugar na linha de sucessão ao trono, ainda não tem nome conhecido, embora já se saiba todo o tipo de detalhes sobre o bebé.

Por exemplo, a criança nasce já com uma mansão de luxo — a York Cottage, casa que foi oferecida pela Rainha Isabel II a Harry e Meghan quando casaram, em maio do ano passado. No condado de Norfolk, a 160 quilómetros a oeste de Londres, a York Cottage ficou conhecida por ter sido a casa onde o Rei Jorge V viveu com a sua mulher, Maria de Teck, após o casamento.

O bebé também já é dono de um relógio Cartier que Meghan Markle comprou para si própria há vários anos, por 3.500 euros, para assinalar a confirmação da terceira temporada da série Suits, que protagonizou. O relógio tem a inscrição “De M.M. para M.M.” e, de acordo com uma entrevista que a atriz deu à revista Hello em 2015, foi comprado já com o objetivo de ser oferecido, um dia, à sua filha. O modelo Tank Française da Cartier era também uma das joias icónicas da princesa Diana.

No que diz respeito aos produtos de que vai precisar nos primeiros meses de vida, o novo membro da família real já está rodeado de luxo. Por exemplo, o carrinho de bebé em que vai ser transportado, de acordo com a imprensa britânica, será um Sylver Cross Balmoral da iCandy, um carrinho de luxo que custa cerca de 2 mil euros — e que já foi visto a entrar no palácio dos duques. A marca tem fornecido os carrinhos de bebé para praticamente todos os bebés da família real britânica desde 1926.

O bebé vai dormir num berço da Blue Almonds que custa 340 euros e que a marca já enviou para o casal britânico — um modelo semelhante àquele a que Kate Middleton e o príncipe William já tinham recorrido para os seus filhos.

A casa em que o bebé real vai crescer — a Frogmore Cottage, no complexo do castelo de Windsor — foi recentemente alvo de remodelações avaliadas em cerca de três milhões de euros. A mansão inclui uma sala de ioga, móveis de luxo e as tecnologias mais sofisticadas de monitorização de bebés.

As condições de vida do novo membro da família real contrastam, naturalmente, com a realidade do país. Em fevereiro deste ano, um relatório do think tank britânico Resolution Foundation concluiu que a estagnação dos salários no Reino Unido poderá levar os níveis de pobreza infantil no país a atingir valores-recorde nos próximos anos, podendo atingir os 37% até 2024, segundo noticiou na altura o The Guardian.