Supercarros

Novo 911 estreia-se mal contra Audi, Nissan e BMW

Porsche 911 Carrera 4S, Audi R8, BMW M850i e Nissan GT-R Nismo enfrentaram-se em várias competições de arranque e travagem. O resultado não sorriu ao mais recente dos 911.

A Carwow montou uma competição entre quatro desportivos de renome, três dos quais alemães e um japonês. Um deles fez-se representar por uma versão mais virada para o luxo do que para as acelerações, uma vez que o M850i é potente e rápido, mas será o M8 – este sim desportivo, mais potente e sem concessões ao luxo – que está mais vocacionado para enfrentar a concorrência destes Audi, Nissan e Porsche.

O Audi R8 é um brinquedo “armado” com o motor mais nobre do quarteto, um V10 atmosférico com 5,2 litros, o mesmo que equipa o Lamborghini Huracán, que na versão mais recente desenvolve 620 cv, ultrapassando as 8.000 rotações por minuto. Contudo, as suas quatro rodas motrizes, além do enorme motor, elevam o peso para 1.670 kg, um handicap no momento das acelerações e travagens. A Audi reclama 331 km/h de velocidade máxima, e 3,1 segundos para ir de 0 a 100 km/h.

Se o R8 é compacto, com apenas 4,43 metros de comprimento, o BMW M850i é um modelo de dimensões muito mais generosas, com 4,85 metros e 1.965 kg, com a tracção integral com que está equipado a contribuir igualmente para o peso total do veículo. O motor V8 com 4,4 litros de capacidade atinge 530 cv, ao ser soprado por dois turbocompressores – o M8, a surgir em breve, superará os 600 cv –, o que lhe garante 3,7 segundos de 0-100 km/h e apenas 250 km/h porque a isso está limitado electronicamente.

O GT-R é o mais emblemático dos desportivos da Nissan. Não é um modelo pequeno (4,69 m) nem leve (1.800 kg), mas possui um excelente sistema 4×4 e um exuberante motor 3.8 V6 biturbo, que nesta versão Nismo atinge 600 cv, valor que faz milagres. Por isso, não é de estranhar os 315 km/h de velocidade máxima (valor que só não é maior porque a aerodinâmica não é o ponto forte do GT-R), e muito menos os 2,8 segundos de 0-100 km/h, um valor canhão.

O novo Porsche 911 surge pela primeira vez num comparativo deste género, com adversários à altura. Esta versão Carrera 4S tem 4,52 metros de comprimento e 1.640 kg de peso, apesar de uma distância entre eixos particularmente curta (2,45 m), uma diferença evidente face ao Audi (2,65 m), BMW (2,82 m, de longe o mais generoso e por isso mais habitável) e Nissan (2,78 m). O motor do 911 continua a ser um boxer 3.0, com seis cilindros opostos sobrealimentados. O motor mais pequeno do conjunto é também o menos possante, com o Porsche a anunciar 450 cv, uma velocidade máxima de 306 km/h e a possibilidade de ir de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos.

O primeiro desafio destinou-se a apurar o desportivo mais rápido no ¼ de milha, ou seja, até 402 metros. Esta prova de aceleração pura sorriu ao R8, que percorreu a distância em apenas 10,7 segundos, com o GT-R a ser o 2º (11,0 s), deixando o 911 em 3º (11,1 s) e o M850i em 4º (11,6 s), situação que certamente será revista assim que o M8 estiver disponível.

A etapa seguinte foi um arranque, desta vez com partida lançada a 80 km/h. Sem o excesso de quilogramas a limitar a aceleração dos modelos mais pesados, o Nissan surpreendeu toda a gente ao ser o mais rápido, à frente do Audi e do BMW que, ao ser o mais pesado, não ficava tão prejudicado com a partida lançada. O último do lote foi o Porsche.

A última prova consistiu em determinar a capacidade de travagem a partir de 113 km/h, outro ponto em que os carros mais leves tinham a vida facilitada. BMW e Nissan são os que necessitaram de mais tempo para parar, fruto de pesarem 1.965 e 1.800 kg, respectivamente. Porsche e Audi terminaram praticamente a par, com um palmo de diferença a favorecer o 911. Veja o vídeo e dê a sua opinião nos comentários.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)