O crescimento da economia do Reino Unido, que desacelerou significativamente em 2018, deverá manter-se ‘contido’ devido à permanência da incerteza política, segundo as previsões da Comissão Europeia (CE) divulgadas esta terça-feira em Bruxelas.

Bruxelas afirma que a permanência da incerteza em relação à futura relação do Reino Unido com os 27 da União Europeia vai significar a continuação de investimento empresarial fraco, que associado à moderação da procura externa, explica a desaceleração da economia britânica desde 2017.

Segundo as previsões de Bruxelas, o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido deverá crescer 1,3% este ano e em 2020, depois de ter crescido 1,8% em 2017 e 1,4% em 2018.

Em relação à taxa de desemprego, Bruxelas afirma que esta se deve manter estável, prevendo que seja de 4,1% este ano e de 4,2% em 2020, depois de se ter cifrado em 4% em 2018 e 4,4% em 2017.

Para a taxa de inflação, Bruxelas prevê uma descida este ano devido à queda dos preços do petróleo. A taxa de inflação no Reino Unido deverá descer de 2,5% em 2018 para 2% este ano e posteriormente subir ligeiramente para 2,1% em 2020, sublinha a Comissão Europeia.

Depois de vários anos de melhoria, as contas do Estado deverão apresentar um défice de 1,5% do PIB este ano, o mesmo valor de 2018, e de 1,2% em 2020.

Para a dívida pública do Reino Unido, a Comissão prevê uma diminuição de 86,8% em 2018 para 85,1% este ano e 84,2% em 2020.