Desaparecimentos

Encontrada com vida estudante de Erasmus desaparecida há uma semana

287

A jovem de 22 anos que estava desaparecida desde o início de maio foi encontrada com vida nas ruas de Paris pelas autoridades francesas. Natalia Sánchez estava há vários dias internada num hospital.

© Twitter

Natalia Sánchez Uribe, a estudante de Erasmus que estava desaparecida desde o início de maio, foi encontrada com vida. A jovem foi avistada numa rua de Paris pelas autoridades francesas e levada para um hospital, onde estava internada há vários dias, escreve o El País.

O Ministério das Relações Exteriores de Espanha confirmou que a jovem de 22 anos foi encontrada desorientada nas ruas da cidade, depois de as autoridades francesas avistarem uma mulher cujas característica correspondiam à jovem desaparecida. Natalia Sánchez está bem de saúde.

A jovem estudante de Economia e Gestão da Universidade Autónoma de Barcelona estava em França desde setembro, ao abrigo do programa de intercâmbio Erasmus. A mochila de Natalia foi encontrada esta terça-feira, com um computador e um telemóvel no interior, junto a um parque não muito longe da universidade.

A notícia chega uma semana após ter sido confirmado o seu desaparecimento. A estudante sumiu quando estava a mudar de apartamento a duas semanas de terminar os estudos. As amigas contam que Natalia se sentia vigiada, perseguida.

Ainda não se conhecem os contornos em torno do desaparecimento da jovem de 22 anos. Ao El País, o pai de Natalia Sánchez Uribe pediu esta quarta-feira que se evitem especulações, com a família a exigir respeito pela “intimidade”da estudante agora encontrada.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)