Danny Baker recusa as acusações de racismo, mas a BBC5 não pensou duas vezes. Despediu mesmo o animador de rádio depois de este ter partilhado na sua conta de Twitter uma imagem alusiva à apresentação do bebé real. ‘Royal baby leaves hospital’, anunciava Baker, enquanto se vê a imagem de um casal, com a mãe a dar a sua mão a um macaquinho. Confrontado pelo Daily Mail à porta de casa, o animador diz que sente “chocado com a sua própria patetice”. Mas não havia volta a dar.

A partilha não caiu bem e rapidamente acendeu a previsível polémica. Recorde-se que o nascimento de Archie Harrison Mountbatten-Windsor, primeiro filho de Harry e Meghan Markle, marca uma nova era na família real britânica: é o primeiro bebé interracial, um detalhe relevante, e em simultâneo capaz de suscitar os mais boçais comentários, a avaliar por uma ronda rápida pelas redes nos últimos dias.

Apenas três dias depois de nascer, e escassos minutos depois de ser apresentado ao público, já as caixas de comentários dos jornais e redes sociais se enchiam de considerações de gosto duvidoso, com o tom da pele do bebé a monopolizar a curiosidade dos britânicos em particular e do público em geral.

Os exercícios incluíam interrogações sobre a cor do bebé e aparente júbilo pelo facto de ser branco. “Parece branco”, “Branquinho, graças a deus”, “Responde à questão que todos estávamos a fazer… de que cor é?”

Perplexidades totalmente desenquadradas com a mensagem que o clã transmitiria com uma das fotos oficiais mais icónicas nesta fase. Trata-se do momento em que a rainha Isabel II conhece o seu novo bisneto, rodeada pelos pais do bebé, pelo marido, o duque de Edimburgo, e ainda por Doria Ragland, a mãe de Meghan Markle, que tem acompanhado o casal nas últimas semanas. Um sinal destacado por outras vozes nas redes, caso da apresentador de TV de um canal dos EUA, país de origem de Meghan, naquela que é já uma de muitas reações de repúdio pelo gesto de Danny.