Coreia do Norte

Coreia do Norte dispara “projétil não identificado”. Segundo teste em menos de uma semana

Um comunicado das forças militares da Coreia do Sul indicam que pela segunda vez no espaço de uma semana, a Coreia do Norte lançou projéteis em direção ao mar do Japão.

Imagem do que poderá ter sido o primeiro teste norte-coreano com um míssil, no final da semana passada

Planet Labs/Twitter

A Coreia do Norte terá lançado um novo projétil, esta quinta-feira, disse fonte das forças militares da Coreia do Sul, citada no jornal The New York Times. A fonte não indica, no entanto, de que tipo de projétil se trata e qual o alcance do mesmo. Este será o segundo teste com armas em menos de uma semana.

No passado sábado, a Coreia do Norte terá lançado 10 a 20 projéteis de curto alcance, de 70 a 200 quilómetros, que acabaram por cair no mar entre o país e o Japão, segundo o comunicado das forças militares da Coreia do Norte. Este ensaio para testar mísseis balísticos na Coreia do Norte foi o primeiro desde o lançamento de um míssil de longo alcance em novembro de 2017, referiu a Reuters.

Uma televisão, numa estação de comboios, mostrava esta quinta-feira Kim Jong Un e o local de onde terá sido feito o lançamento do projétil. Estes ensaios acontecem durante a visita de um representante norte-americano à Coreia do Sul — JUNG YEON-JE/AFP/Getty Images

O ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano disse, esta quarta-feira, que se trataram de testes “regulares e de auto-defesa”, como citou a agência. “O ensaio recente conduzido pelo nosso exército não é mais do que parte de um treino militar regular e não teve ninguém como alvo, nem levava ao agravamento da situação na região”, disse uma fonte não identificada do ministério, citada pela agência de notícias do Estado, KCNA. A Coreia do Sul discorda e diz que se trata de uma violação do acordo de redução da tensão entre as duas Coreias.

Se o lançamento de dia 4 de maio foi feito a partir de Wonsan, na costa leste, o lançamento do “projétil não identificado” no dia 9, pelas 7h30 (hora de Lisboa), foi feito a partir de Sino-ri, a noroeste de Pyongyang, a capital norte-coreana. “A base operacional Sino-ri e os mísseis Rodong lançados a partir deste local se encaixam na suposta estratégia militar nuclear da Coreia do Norte, fornecendo uma capacidade nuclear nuclear convencional ou de primeiro ataque contra alvos localizados tanto na península coreana como na maior parte do Japão”, escreveram, em janeiro, os analistas do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, um think tank de Washington, agora citados pelo NYT.

O lançamento de sábado (ainda sexta-feira nos Estados Unidos) terá sido registado, em fotografia, por uma empresa privada de satélites — Planet —, conforme revelou a CNN. “A localização do lançamento, a aparência espessa e esfumaçada dos fumos libertados e o fato de que há apenas um trilho desenhado pelo rocket sugerem que se tratar do míssil balístico de curto alcance que a Coreia do Norte mostrou na sua propaganda”, disse Jeffrey Lewis, diretor do Programa de Não-Proliferação do Leste da Ásia no Middlebury Institute.

Atualizado às 10h45

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)