Tecnologia

Lenovo divulga primeiro computador com ecrã dobrável (já não são só os smartphones)

Um tablet dobrável ou o futuro dos portáteis? A Lenovo divulgou o primeiro "computador flexível" que tem um ecrã 2K dobrável de 13,3 polegadas.

O Thinkpad com ecrã dobrável deve chegar ao mercado em 2020

LENOVO/TWITTER

A Samsung pode estar com dificuldades em lançar um dispositivo com ecrã dobrável — o Galaxy Fold — mas isso não impede outras empresas tecnológicas de entrarem na corrida dos visores flexíveis mais cativantes. Prova disso é a Lenovo, que divulgou esta segunda-feira um novo portátil da gama premium ThinkPad X1. Em vez de ter um teclado, o computador tem um ecrã que vai do topo do dispositivo até ao fundo e pode ser utilizado como um tablet de 13,3 polegadas. Para utilizá-lo como um portátil, basta dobrá-lo.

[A Lenovo partilhou no YouTube um vídeo do próximo ThinkPad dobrável]

Além da data de lançamento — “2020” –, e algumas especificações, ainda não se sabe muito sobre este dispositivo. Contudo, segundo a Lenovo, uma garantia é feita: “não é um smartphone, um tablet ou um híbrido; isto é um computador portátil de pleno direito com um ecrã dobrável”.

O visor dobrável deste dispositivo foi feito em parceria com a LG e utiliza a tecnologia OLED com qualidade de imagem de alta definição (a resolução é 2K). Para já, este portátil é ainda um protótipo e sites como o The Verge, que já  experimentou o aparelho, afirmam que a qualidade de imagem ainda tem de melhorar.

O ThinkPad X1 dobrável vai utilizar o sistema operativo Windows 10 e vai ter compatibilidade com canetas digitais. O processador vai ser Intel, mas não há ainda informação sobre qual a capacidade de memória RAM e interna ou duração da bateria que o dispositivo vai ter.

Com esta tecnologia, a Lenovo quer alterar a forma como se utiliza atualmente um computador portátil. Apesar de já existirem no mercado computadores flexíveis em que o teclado fica dobrado atrás do ecrã, com este design o teclado está embutido no ecrã tátil permitindo ter um visor maior quando o dispositivo está desdobrado.

Os ecrãs dobráveis são uma das mais recentes tendências nos aparelhos móveis. Em 2018, a Royole foi a primeira empresa a lançar um smartphone com visor tátil flexível que, quando está aberto, pode ser utilizado como um pequeno tablet. Pouco tempo depois, a Samsung anunciou o Galaxy Fold, o primeiro smartphone dobrável da empresa sul-coreana. O dispositivo da Samsung ia chegar ao mercado em abril, mas o lançamento teve de ser adiado depois de vários equipamentos enviados a jornalistas e analistas para análise revelarem defeitos na resistência do visor dobrável.

Além da Lenovo, da Samsung e da Royole, outras empresas tecnológicas já divulgaram também que estão a trabalhar com esta tecnologia para futuros produtos. Exemplo disso é a Huawei, que anunciou o smartphone dobrável Huawei Mate X em fevereiro, ou a TCL, que é dona de marcas como a Blackberry e a Alcatel.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)