Rádio Observador

Alojamento Local

Porto tem 8.082 Alojamentos Locais e registou 250 novos por mês em 2018

A Câmara Municipal do Porto revelou que há 8.082 imóveis afetos ao Alojamento Local na cidade e que em 2018 foram registados três mil novos, a uma média de 250 por mês.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Câmara Municipal do Porto revelou que há 8.082 imóveis afetos ao Alojamento Local (AL) na cidade e que em 2018 foram registados três mil novos, a uma média de 250 por mês.

Na cidade do Porto há “8.082 imóveis afetos ao Alojamento Local”, dos quais dos quais 93% são apartamentos e os outros 7% são moradias e estabelecimentos de hospedagem”, declarou hoje o vereador do Turismo da Câmara do Porto, Ricardo Valente, citando dados recolhidos pela autarquia em parceria com a Confidencial Imobiliária, para criarem um sistema de monitorização de AL na cidade.

Ricardo Valente, referindo o estudo recente sobre AL feito pela Universidade Católica para a Câmara do Porto, indicam que em 2018 houve uma “média de 250 registos por mês” de novos AL, o que totaliza “três mil” novos registos de Al em 2018 na cidade do Porto, o equivalente “perto de 42% do total de AL registados num único ano”, acrescentou.

Em termos de tipologias do AL na cidade do Porto, 64% são T0 ou T1, prevalecendo a “lógica dos apartamentos como a grande fatia daquilo que está afeto aos alojamentos locais”, acrescentou o vereador.

Mais de metade do total de AL do Porto está concentrada nas freguesias do centro histórico da cidade.

Cerca de 71% dos AL (5.190 registos) estão localizados na União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória”, lê-se no estudo a que a Lusa teve acesso.

Dentro desta União de freguesias é, por sua vez, notável a concentração na antiga freguesia de Santo Ildefonso, que corresponde a cerca de 2.000 registos de AL.

Se considerarmos as sete freguesias do concelho do Porto, Bonfim aparece em segundo lugar com 962 AL, o que corresponde a 13% no total dos AL contabilizados.

A União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos aparece em terceiro lugar com 388 AL, o que correspondente a 5% do total de AL.

A freguesia de Paranhos e a União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde apresentam-se, respetivamente, com 292 e 182 registos de AL, seguindo-se as freguesias de Campanhã e de Ramalde com, respetivamente, 128 e 116 registos de AL.

O estudo foi preparado pelo Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada da Universidade Católica do Porto em resposta a uma solicitação da Câmara Municipal do Porto, cujo coordenador foi Alberto Castro.

O presidente de Câmara do Porto, Rui Moreira, já disse estar disposto a implementar medidas de contenção para limitar o AL no centro histórico, após conhecer o estudo da Católica.

Em vigor desde 21 de outubro de 2018, as alterações legislativas ao regime do AL determinam que as câmaras municipais e as assembleias de condóminos podem intervir na autorização do exercício da atividade, permitindo a fixação de “áreas de contenção” para “preservar a realidade social dos bairros e lugares”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)