Transportes

VOI faz concorrência à Uber e entra no mercado das bicicletas elétricas partilháveis

Um modelo de trotinetes específico para entrar na Alemanha, trotinetes com três rodas, uma bicicleta elétrica e outra para cargas: esta será a nova frota da VOI. Empresa quer chegar a 150 cidades.

A VOI Cargo foi um dos novos produtos apresentados pela VOI e pretende dar resposta "a ciclistas que precisam de transportar cargas volumosas, sejam mantimentos ou crianças"

Era, nas palavras do vice-presidente de produto da VOI, Simon Fellin, ao Observador, um “salto” que a empresa precisava de dar depois da forma como tem vindo a crescer pela Europa. A VOI, a primeira startup europeia de trotinetes elétricas partilhadas, vai entrar também no mercado das bicicletas elétricas, concorrendo, por exemplo, com as Jump (da Uber). Os dois novos modelos de bicicletas elétricas foram apresentados em Estocolmo no dia em que a empresa também anunciou dois modelos de trotinetes criados e desenvolvidos pela VOI.

Não foi avançada a data em que estes modelos vão estar disponíveis em Portugal, mas durante este verão serão apresentados na Alemanha, Bélgica, Finlândia e Espanha. A ideia é que, gradualmente, estes veículos substituam o modelo de trotinetes da VOI que atualmente circulam nas ruas (incluindo em Lisboa e Faro), à medida que o seu tempo de vida também acaba. “Claro que não vamos tirar as trotinetes que temos atualmente das ruas. Elas continuam a trabalhar e nós vamos continuar a fazer a sua manutenção”, explicou ainda Simon Fellin.

O primeiro novo modelo de trotinetess chama-se Voiager 1 (ou como Simon ainda lhe chama carinhosamente “Unicorn I”) e foi adaptado exclusivamente para a VOI conseguir cumprir a regulação específica da circulação de trotinetes elétricas na Alemanha e, assim, permitir que a empresa possa chegar às ruas alemãs já em junho deste ano.

A Voiager 1 foi criada especialmente para permitir que as trotinetes da VOI cumpram os requisitos destes veículos na Alemanha

O segundo modelo de trotinetes apresentado é o Voiager 2 e, das trotinetes elétricas, é também aquele que traz mais mudanças: é moldado numa única peça de alumínio de 5 mm, tem transmissão elétrica personalizada e rodas de 10 polegadas, tendo também um suporte que impede que a trotinete caia tão facilmente quando está estacionada. Esta trotinete tem um alcance de 50 quilómetros — quase o dobro dos modelos anteriores — e, será a trotinete principal da empresa. “A partir de agora, qualquer expansão que a VOI faça será já com a Voiager 2”, explicou ainda Simon Fellin.

A versão de três rodas, segundo a empresa, “proporciona estabilidade e segurança inigualáveis durante a condução, sendo particularmente adequada para pisos escorregadios”. E há outra novidade: a bateria é substituível, permitindo que os responsáveis pelo carregamento destas trotinetes possam substituí-las diretamente na trotinete, ao invés de ter de levar os veículos para carregamento.

A versão de três rodas da Voiager 2, segundo a empresa, “proporciona estabilidade e segurança inigualáveis durante a condução”

Ainda nesta trotinete, o utilizador vai ter acesso ao Sistema Avançado de Assistência ao Condutor (SAAC), que permite o acesso ao suporte de navegação, alertas e notificações.

Os dois modelos de trotinetes foram criados e desenvolvidos na Suécia e, de acordo com o vice-presidente de produto, foram pensados com base na experiência que a própria empresa foi vivendo nas várias cidades europeias e das necessidades que os seus utilizadores iam revelando.

Fredrik Hjelm, fundador e presidente da VOI, assegura que as trotinetes “são uma parte muito importante da solução, do avanço dos transportes na cidade”, mas “é necessário outras formas de mobilidade”. Por isso, chegam também as bicicletas elétricas da VOI como um complemento às trotinetes. A primeira chama-se “bicicleta VOI” e promete concorrer com as Jump, da Uber. “De acordo com os regulamentos europeus para bicicletas elétricas, pode viajar a 25 km/h totalmente assistida, oferecendo um produto que é adequado para passeios mais longos e mais rápidos do que de trotinete”, acrescenta a empresa.

Desde o princípio que definimos que queríamos ser a principal empresa de mobilidade na Europa e isso significa que temos que nos adaptar às cidades e às suas necessidades. As trotinetes são ótimas e em várias cidades são uma ótima forma de chegar do ponto A ao B, mas às vezes calha de esse ponto B ser mais longe ou a calçada pode não ser muito apropriada para as trotinetes. E é preciso alternativas”, referiu Simon Fellin ao Observador.

Com o lançamento das bicicletas elétricas, a VOI vem concorrer com as Jump, da Uber

Por fim, a bicicleta mais diferente. A VOI Cargo vem dar resposta “a ciclistas que precisam de transportar cargas volumosas, sejam mantimentos ou crianças”. Na parte da frente, esta bicicleta tem uma caixa grande com cintos de segurança de três pontos e permite transportar compras ou outro tipo de material e passageiros. Dentro da própria empresa, os responsáveis pelo carregamento das trotinetes também poderão utilizar esta bicicleta para transportar as baterias e trotinetes. “Espero que recebam estes veículos tão bem como receberam os primeiros”, sublinhou o responsável de produtos da VOI.

A VOI Cargo permite carregar mercadorias, como as compras, mas também ajuda os responsáveis pelo carregamento das trotinetes a transportar as baterias

Segundo o vice-presidente de produto da VOI, a criação destes novos modelos exigiu também prioridades muito específicas que a empresa quis assegurar que eram cumpridas ao longo de todo o processo: “Algo que é apropriado para a partilha, que possa ser utilizado durante todo o dia por várias pessoas, que fosse muito simples para que os utilizadores os possam perceber e algo muito robusto”. E deixou a nota: “Se queremos ser os líderes, precisamos de algo que é para todos e não apenas para um nicho”.

O plano de expansão para 150 cidades

As novidades que a VOI trouxe na bagagem não ficaram só pela sua frota. Em comunicado, a empresa anunciou ainda um programa de expansão em 150 cidades, sendo que atualmente está em 18 cidades europeias.

“A abordagem de crescimento baseada no monopólio implementada por algumas startups de trotinetes nunca irá resultar na Europa. Queremos trabalharem parceria genuína com as cidades e estamos a descobrir maneiras inovadoras de o fazer”, rematou Fredrik Hjelm, citado em comunicado.

Para este verão, a startup sueca pretende iniciar atividade em cidades como Viena, Bruxelas, Zurique e Varsóvia e, garante, dando prioridades à “colaboração e parceria” com as autoridades locais.

Criada no verão de 2018, a VOI já está presente em países como a Suécia, Portugal, Dinamarca e Espanha e já angariou um investimento total de 82 milhões de euros. Em oito meses de existência, já foram realizadas mais de dois milhões de viagens e registados mais de um milhão de utilizadores. A empresa entrou este ano em território português e está presente em Lisboa e Faro, tendo sido a primeira empresa de mobilidade a estar em mais de duas cidades portuguesas. Concorre no mercado português com marcas como a Lime, Bird ou Flash.

*O Observador viajou para Estocolmo a convite da VOI para assistir à apresentação do seu novo modelo de trotinetes

(Artigo atualizado às 23h com mais informações sobre o lançamento)

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)