Rádio Observador

Web Summit

Web Summit procura 16 gestores para escritório de Lisboa para reforçar “compromisso” com Portugal

103

A Web Summit já começou a primeira fase de expansão do escritório que tem em Lisboa, que emprega 10 pessoas de 6 nacionalidades. Agora, quer recrutar 16 pessoas para cargos de gestão seniores.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A Web Summit quer duplicar a equipa que tem em Lisboa. Paddy Cosgrave, fundador e CEO daquela que é a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa, anda à procura de pessoas para ocupar 16 cargos de gestão seniores e especializados, anunciou a empresa esta terça-feira em comunicado. A primeira fase do plano de expansão é um símbolo do “compromisso” da empresa com Portugal, afirmou.

Já em outubro, Paddy Cosgrave se tinha comprometido em fazer crescer a equipa portuguesa até às 100 pessoas, medida que fazia parte da estratégia da conferência para os 10 anos em que se vai manter em Portugal — com um investimento público de 11 milhões por ano e contrapartidas que incluem a participação do primeiro-ministro na conferência, “descontos nos transportes” e uma eventual indemnização assegurada pela Câmara de Lisboa (CML), caso esta não consiga garantir a ampliação da FIL já este ano, segundo noticiou o jornal Público.

O nosso investimento em fazer crescer a operação da Web Summit em Lisboa é um símbolo do nosso compromisso com a parceria de 10 anos que celebrámos com Lisboa e Portugal. Testemunhámos em primeira mão o quão ativa é o ecossistema de startups e tecnologia em Portugal e estamos empolgados por estarmos cada vez mais entre todos”, afirmou Paddy em comunicado.

Nesta vaga de contratações, a empresa procura gestores ligados à engenharia de software, produção de eventos, desenvolvimento do negócio, Marketing e publicidade. Para a primeira semana de novembro, a Web Summit espera mais de 70 mil participantes de mais de 170 países.

Para manter a conferência em Portugal até 2028, as autoridades portuguesas — nomeadamente o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa (CML) — comprometeram-se com a ampliação da FIL, pavilhão que recebe a Web Summit desde 2016. Ou seja, a FIL passaria dos atuais 41 mil metros quadrados para 90 mil metros quadrados de exposição permanente até 2021, compromisso que contou com o carimbo da Fundação AIP, segundo avançou o jornal Expresso. Contudo, as partes não se têm entendido.

De acordo com o semanário, a CML estava disposta a pagar as obras, mas queria — além de definir os prazos e o grau do alargamento — que o seu investimento fosse “convertido em capital social da Fundação AIP”, ficando a “mandar” na FIL . O valor não é revelado oficialmente, mas uma “fonte conhecedora” disse ao Expresso que se tratava de 30 milhões de euros.

No final do mês de abril, Paddy andou a visitar espaços em Lisboa juntamente com um representante do maior construtor e operador de conferências e eventos de exibição do mundo para “explorar” novo centro de conferências globais, ou seja, uma nova FIL, disse fonte da Web Summit ao Observador. Segundo o Expresso, estarão a ponderar locais alternativos para a realização da conferência como a Foz do Trancão, localizada entre os concelhos de Lisboa e Loures, um “espaço junto à Feira Popular, em Carnide” e Pedrouços, entre Lisboa e Oeiras.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos
118

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)