Web Summit

Web Summit procura 16 gestores para escritório de Lisboa para reforçar “compromisso” com Portugal

103

A Web Summit já começou a primeira fase de expansão do escritório que tem em Lisboa, que emprega 10 pessoas de 6 nacionalidades. Agora, quer recrutar 16 pessoas para cargos de gestão seniores.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A Web Summit quer duplicar a equipa que tem em Lisboa. Paddy Cosgrave, fundador e CEO daquela que é a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa, anda à procura de pessoas para ocupar 16 cargos de gestão seniores e especializados, anunciou a empresa esta terça-feira em comunicado. A primeira fase do plano de expansão é um símbolo do “compromisso” da empresa com Portugal, afirmou.

Já em outubro, Paddy Cosgrave se tinha comprometido em fazer crescer a equipa portuguesa até às 100 pessoas, medida que fazia parte da estratégia da conferência para os 10 anos em que se vai manter em Portugal — com um investimento público de 11 milhões por ano e contrapartidas que incluem a participação do primeiro-ministro na conferência, “descontos nos transportes” e uma eventual indemnização assegurada pela Câmara de Lisboa (CML), caso esta não consiga garantir a ampliação da FIL já este ano, segundo noticiou o jornal Público.

O nosso investimento em fazer crescer a operação da Web Summit em Lisboa é um símbolo do nosso compromisso com a parceria de 10 anos que celebrámos com Lisboa e Portugal. Testemunhámos em primeira mão o quão ativa é o ecossistema de startups e tecnologia em Portugal e estamos empolgados por estarmos cada vez mais entre todos”, afirmou Paddy em comunicado.

Nesta vaga de contratações, a empresa procura gestores ligados à engenharia de software, produção de eventos, desenvolvimento do negócio, Marketing e publicidade. Para a primeira semana de novembro, a Web Summit espera mais de 70 mil participantes de mais de 170 países.

Para manter a conferência em Portugal até 2028, as autoridades portuguesas — nomeadamente o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa (CML) — comprometeram-se com a ampliação da FIL, pavilhão que recebe a Web Summit desde 2016. Ou seja, a FIL passaria dos atuais 41 mil metros quadrados para 90 mil metros quadrados de exposição permanente até 2021, compromisso que contou com o carimbo da Fundação AIP, segundo avançou o jornal Expresso. Contudo, as partes não se têm entendido.

De acordo com o semanário, a CML estava disposta a pagar as obras, mas queria — além de definir os prazos e o grau do alargamento — que o seu investimento fosse “convertido em capital social da Fundação AIP”, ficando a “mandar” na FIL . O valor não é revelado oficialmente, mas uma “fonte conhecedora” disse ao Expresso que se tratava de 30 milhões de euros.

No final do mês de abril, Paddy andou a visitar espaços em Lisboa juntamente com um representante do maior construtor e operador de conferências e eventos de exibição do mundo para “explorar” novo centro de conferências globais, ou seja, uma nova FIL, disse fonte da Web Summit ao Observador. Segundo o Expresso, estarão a ponderar locais alternativos para a realização da conferência como a Foz do Trancão, localizada entre os concelhos de Lisboa e Loures, um “espaço junto à Feira Popular, em Carnide” e Pedrouços, entre Lisboa e Oeiras.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)