Morreu Ieoh Ming Pei (mais conhecido por I. M. Pei), o arquiteto americano de origem chinesa conhecido principalmente por ter desenhado a pirâmide do Louvre, em Paris. O arquiteto morreu na noite desta quarta-feira, aos 102 anos, confirmou o seu filho, Chien Chung Pei, ao The New York Times.

Pei nasceu em Guangzhou, foi criado em Hong Kong e Xangai, mas em 1935 deixou a Ásia e mudou-se para os Estados Unidos, onde esteve na escola de arquitetura da Universidade da Pensilvânia e, posteriormente, pediu transferência para o Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Depois deste percurso, o arquiteto continuou os estudos e entrou na Universidade de Harvard. Em 1948, o Pei foi contratado por William Zeckendorf, entrando assim no negócio imobiliário de Nova Iorque.

Sete anos depois, quis seguir o seu próprio caminho e fundou a empresa independente de design IM Pei & Associates. No total, o arquiteto desenhou quase 50 projetos a nível mundial, muitos dos quais acabaram premiados. Em 1983, Pei venceu o Prémio Pritzker — o Nobel da Arquitetura.

As suas obras mais conhecidas estão em Washington e Paris: o edifício Leste do Museu Nacional de Arte e a pirâmide de vidro que serve como entrada para o Museu do Louvre. Esta última partiu de um convite que recebeu para o projeto de ampliação do edifício, numa construção inspirada nos modelos egípcios.

Além destas duas obras. I.M.Pei esteve também na origem da construção da biblioteca memorial Kennedy, em Boston, em 1971, e o Banco da China, em Hong Kong, em 1989. Foi também ele que desenhou o anexo que acolhe os arquivos do Museu da História de Berlim.