Aliança

Paulo Sande agradece “empenhamento e profissionalismo” de equipas de socorro depois de acidente de viação

Esta quarta-feira, Paulo Sande e Pedro Santana Lopes sofreram um acidente na A1, quando se deslocavam entre ações de campanha. Sande agradece "empenhamento e profissionalismo" de equipas.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Paulo Sande, cabeça de lista do Aliança às eleições europeias, e João Pessoa e Costa, diretor de campanha, agradeceram esta quinta-feira em comunicado à Brigada de Trânsito, INEM, Bombeiros e equipa médica e de enfermagem do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra o “empenho e profissionalismo” das equipas de socorro após o acidente de viação que Sande e Pedro Santana Lopes sofreram esta quarta-feira ao quilómetro 136 da A1, quando se deslocavam entre ações de campanha.

Este empenho das equipas, nas palavras de Sande, “foi fundamental para tratar e minimizar as consequências” do acidente de viação. Na nota enviada, o cabeça de lista do Aliança agradeceu ainda pelas mensagens de apoio “de simpatizantes, militantes da Aliança, representantes de outras forças políticas, amigos e pessoas anónimas”, e acrescentou que “assim que possível”, Paulo Sande vai voltar a integrar as ações de campanha do partido que, entretanto, foram retomadas pelos restantes membros da lista de candidatos.

Esta quarta-feira, recorde-se, Pedro Santana Lopes e Paulo Sande sofreram um acidente de viação quando se deslocavam entre ações de campanha. Inicialmente, Santana ficou encarcerado, depois de o carro capotar várias vezes, mas foi libertado pelos bombeiros. Já Paulo Sande saiu do carro pelo próprio pé.

Santana Lopes poderá ter sofrido um traumatismo torácico e o candidato às europeias um traumatismo craniano, segundo os médicos do INEM que os assistiram no local do acidente rodoviário, em declarações à Lusa. Só depois dos exames se poderão confirmar as suspeitas da equipa médica no local do acidente, de um eventual traumatismo torácico em Santana Lopes e um traumatismo craniano a Paulo Sande — que já teve alta entretanto. Santana Lopes, por sua vez, teve alta esta quinta-feira.

“Apanhámos aqui um susto. O Pedro Santana Lopes ficou um bocado mais mal-tratado do que eu, mas à partida está tudo bem”, disse, na altura, Paulo Sande ao Observador. Depois do acidente, o Aliança suspendeu a campanha, sendo esta retomada “logo que o quadro clínico o permita”. O partido “continuará as ações previstas, aguardando que estes se juntem às mesmas, com redobradas forças, com a maior brevidade possível”.

Entretanto, esta quinta-feira, surgiu uma polémica relacionada com este acidente, mais concretamente com os meios de socorro que foram utilizados. A crítica veio da Associação de Proteção e Socorro (APROSOC) que argumenta que o uso do helitransporte utilizado para Santana foi “discriminatório”, uma vez que o INEM não disponibiliza o mesmo tipo de assistência para vítimas que todos os anos sofrem acidentes semelhantes.

Leia o comunicado na íntegra:

O cabeça de lista do partido Aliança às eleições europeias, Paulo Sande e a Director de Campanha, João Pessoa e Costa, manifestam publicamente o seu agradecimento à Brigada de Trânsito, INEM, Bombeiros e equipa médica e de enfermagem do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. O seu empenhamento e profissionalismo foi fundamental para tratar e minimizar as consequências do aparatoso acidente de viação sofrido pelo presidente do partido, Pedro Santana Lopes e o cabeça de lista às europeias, Paulo Sande, ontem na A1 numa deslocação entre acções de campanha. Mais uma vez se prova a importância e a imprescindibilidade do SNS em situações desta natureza. 

Paulo Sande agradece todas as mensagens de apoio de simpatizantes, militantes da Aliança, representantes de outras forças políticas, amigos e pessoas anónimas que fizeram chegar de diversas formas a sua solidariedade.

Assim que possível, o cabeça de lista integrará as acções de campanha entretanto retomadas pelos restantes membros da lista de candidatos pela Aliança.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)