Não foi propriamente uma surpresa mas, até pelo timing, quando faltam ainda disputar duas jornadas da Serie A, acabou por cair como uma “bomba”: Massimiliano Allegri, treinador italiano que foi pentacampeão pela Juventus e ganhou 11 títulos internos desde 2014, vai deixar o clube de Turim no final da temporada, conforme anunciou esta sexta-feira a Vecchia Signora.

“Massimiliano Allegri não se vai sentar no banco da Juventus na temporada 2019/20. O treinador e o presidente, Andrea Agnelli, vão encontrar-se com os meios de comunicação numa conferência de imprensa que terá lugar no sábado, dia 18, às 14 horas na sala de imprensa do Allianz Stadium”, anunciou o clube através de um curto comunicado colocado nas suas plataformas.

Depois de quatro anos no AC Milan, onde ganhou um Campeonato e uma Supertaça, Allegri chegou à Juventus em 2014 para substituir Antonio Conte, tendo conquistado cinco Campeonatos, quatro Taças de Itália e duas Supertaças, além de alcançar duas finais da Liga dos Campeões perdidas frente a Barcelona (2015) e Real Madrid (2017). Na presente época, apesar de ter chegado ao pentacampeonato no seu comando (oitava Serie A consecutiva), o afastamento precoce da Taça de Itália deixou os primeiros sinais de alarme e a eliminação nos quartos da Champions frente ao Ajax acabou por sentenciar este desfecho.

De acordo com a imprensa transalpina, Allegri manteve algumas reuniões nos últimos dias com Agnelli, Pavel Nedved, antigo Bola de Ouro hoje vice-presidente, e Fabio Paratici, diretor desportivo. Por um lado, o treinador terá pedido para que o vínculo que terminava em 2020 fosse ampliado, no sentido de reforçar o projeto a longo prazo no clube, ideia que não “vingou”; em paralelo, o técnico admitiu sentir-se demasiado isolado perante as críticas de que foi alvo após a derrota com o Ajax. A saída começou a tornar-se inevitável, num cenário confirmado oficialmente esta sexta-feira.

O nome de Zinedine Zidane chegou a ser apontado ao comando da Juventus antes do regresso ao Real Madrid, o que fez cair por terra essa possibilidade. Antonio Conte, treinador sem clube depois da saída do Chelsea no verão de 2018, é uma das hipóteses mais faladas, a par de Mauricio Pochettino (Tottenham) e outro ex-jogador do clube, o campeão mundial Didier Deschamps.