Para agradar aos clientes que, desejando um SUV de grandes dimensões, não querem um modelo com ar tão pesado e volumoso, os fabricantes de veículos de luxo conceberam versões com um certo ar de coupé, que visam atrair quem privilegia veículos mais ágeis e dinâmicos, nem que seja só de aspecto. A moda começou em 2008 com o BMW X6, mas foi necessário esperar vários anos até que a concorrência aprontasse versões similares, primeiro a Mercedes com o GLE Coupé, mais recentemente, a Audi com o Q8 e, agora, a Porsche com o Cayenne Coupé.

Face ao Cayenne normal, o Coupé é 1,3 cm mais comprido (com 4,93 m), 2,0 cm mais baixo e igual de largura. A maior diferença está ao nível do pilar traseiro, substancialmente mais inclinado e no tejadilho mais baixo (que pode ser panorâmico, em vidro), o que lhe confere o desejado ar de coupé. No prolongamento do tejadilho surge uma asa móvel que abre 13,5 cm a partir de 90 km/h, segundo a marca, para melhorar a aerodinâmica.

Por dentro, e para compensar a menor altura ao tejadilho, o banco posterior (que pode ser para dois ou três adultos) está 3 cm mais abaixo, o que deverá gerar ângulos mais apertados ao nível das ancas e joelhos, sendo que lá atrás surge uma bagageira com 600 litros no Turbo Coupé (mais 25 litros no Coupé e no S Coupé), contra os mais generosos 770 e 745 litros do Cayenne convencional.

O novo SUV Coupé já pode ser encomendado entre nós, para já apenas na versão S Coupé, com a versão Coupé, menos possante, e a Turbo Coupé, com mais potência, agendadas para mais tarde. O Cayenne S Coupé monta o 2.9 V6 sobrealimentado a gasolina, com 440 cv, e está disponível a partir de 137.300€ – mais 7.000€ do que a versão normal -, com as primeiras unidades a serem entregues em Julho.